CAFÉ RESTAURANTE TENTAÇÃO: HÁ 5 ANOS A FAZER ENTREGAS AO DOMICÍLIO

0

O takeaway é a nova realidade da restauração na era da pandemia. Todavia, as entregas ao domicílio já eram praticadas pelo restaurante Café Tentação, no Restelo que, há cinco anos, adotou este sistema para melhor servir os seus clientes.

A realidade dos serviços de entrega de comida em casa é algo que todos já conhecem bem, mas a conjuntura atual tornou-a ainda mais pertinente: Primeiro porque pode facilitar a vida em tempos de distanciamento social e, segundo, porque para muitos negócios pequenos e sem grandes financiadores, este tipo de comércio pode fazer a diferença entre a sobrevivência e o encerramento.

É o caso do Café das Tentações, no Restelo, na Rua João Dias, nº 35 que, desde que abriu as suas portas há 5 anos, iniciou um «sistema» de entrega de refeições personalizado ao domicílio, possibilitando aos seus clientes, principalmente aos mais idosos, degustarem os seus ótimos «manjares» sem saírem de casa.

Por isso, o takeaway não é novidade para Carlos Alves, proprietário deste espaço, onde se pode «encontrar» uma vasta variedade de comida caseira. As ofertas do Café Tentação vão desde o clássico cozido à portuguesa, passando pela feijoada, até ao polvo lagareiro, a preços inacreditáveis: uma refeição completa, entregues ao domicílio, ronda os 6,20 euros e, apenas o prato simples, o custo é de 4 euros.

Empresa familiar de pais e filhos, com um empregado, o Café Tentação procura, essencialmente, bem servir o cliente, disponibilizando o serviço de takeaway e possibilitando o levantamento das refeições entre as 12 e as 14 horas. Os clientes recebem a emenda, através do telemóvel ou do Facebook, ligando para: 931 699 497, para realizarem o seu pedido e «agendarem» a hora de entregas, realizadas, normalmente, entre as 11 e as 12 horas

Durante esta quarentena, Carlos Alves têm realizado cerca de 40 entregas/diárias, recordando que, durante o Verão, com a abertura do confinamento, o seu restaurante reavivou e que o negócio «começou a mexer». Os clientes habituais voltaram e surgiram alguns novos, mas, mesmo assim, manteve o sistema de takeaway, independentemente de o negócio ter ganho «um novo fôlego» com o desconfinamento.




Como adianta Carlos Alves, que está na hotelaria há cerca de 30 anos, agora com estas novas medidas de recolhimento obrigatório, que não facilitam a venda de um simples café à porta, as empresas do sector foram obrigadas a centrar a sua atividade na entrega domiciliária de refeições, que, neste momento, são a sua única fonte de rendimento.

#ComércioNaLinhaDaFrente

Quer comentar a notícia que leu?