CÂMARA E JUNTA DISTRIBUEM REFEIÇÕES NA BAIXA LISBOETA

0

São 119 os restaurantes lisboetas contratados pela Câmara Municipal de Lisboa, em cooperação com as Juntas de Freguesia, para fornecer refeições, durante o fim-de-semana, a famílias carenciadas. Hoje, essa ação decorreu na baixa, onde um restaurante local forneceu cerca de 200 refeições.

Hoje, Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, acompanhado pelo presidente da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior, Miguel Coelho, esteve na baixa lisboeta, a «assistir» à distribuição das refeições contratadas com o Café Vitória para serem entregues a famílias carenciadas da freguesia de Santa Maria Maior.

Fernando Medina fez questão de salientar que, esta iniciativa «permite apoiar as famílias e, ao mesmo tempo, ajudar os restaurantes locais com a aquisição de refeições, por 10 euros cada, durante o fim-de-semana», revelando ainda que são 119 os restaurantes, espalhados por todas as freguesias de Lisboa, envolvidos nesta ação de solidariedade do município, através do Fundo de Emergência Social e do programa Lisboa Protege mais.

«Em tempos difíceis não há concorrência, há solidariedade e cooperação», adianta Fernando Medina, lembrando que, até ao momento, a Câmara de Lisboa já distribuiu mais de um milhão de refeições» e que o programa «Lisboa Protege» vai conceder apoios a fundo perdido a empresários e comerciantes que não estavam incluídos numa primeira fase do apoio, designadamente empresários em nome individual com contabilidade simplificada e empresários com faturação entre 500 mil euros e um milhão de euros.

Para já, esta iniciativa de contratar restaurantes para fornecerem refeições pretende compensar o encerramento ao fim de semana das IPSS onde todos os dias são confecionadas mais de 10 mil refeições para a população mais carenciada ou idosa com dificuldades de autonomia, adianta Fernando Medina, sublinhando que a Câmara de Lisboa «está a financiar mais de 7000 refeições, ao sábado e domingo, que mantêm o essencial desse apoio durante os sete dias da semana. Estas 14 mil refeições solidárias, por fim de semana, num programa articulado com as Juntas de Freguesia, servem ainda como um forte apoio à restauração num momento em que o setor enfrenta sérias dificuldades».

Contudo, o presidente da Câmara de Lisboa admite que o apoio «não é suficiente para tudo aquilo que o sector da restauração precisa», confessando que as medidas do Lisboa Protege são, de momento, «aquilo que nós podemos fazer e, muitas vezes, faz a diferença receber o apoio a fundo perdido, recebê-lo a tempo e horas, proteger o emprego, protegendo as atividades».




Todavia, Fernando Medina considerou que, os «3,6 milhões de euros que a autarquia vai investir, em coordenação com as Juntas de Freguesia, na confeção de refeições», significam um «balão de oxigénio» para a sobrevivência dos restaurantes.

Por seu turno, Miguel Coelho, presidente da Junta de Freguesia, considera que este investimento «reforça um investimento que já existia, a ‘Mesa dos Afetos’, de distribuição de refeições», salientando, por outro lado, que a Junta de Freguesia «não tem arcaboiço financeiro para aguentar o nível de distribuição que estamos a fazer».

Após lembrar que a Junta tem «verbas para mais 30 semanas», Miguel Coelho, que lembra que a freguesia está «envelhecida» com muitos idosos sozinho, afiança que Junta, «todos os dias, leva mais de 180 refeições a várias pessoas que, se não tivessem este apoio, estariam a passar ainda por maiores dificuldades». Por isso, considera essencial que estes apoios se mantenham, revelando que «os apoios estão contratualizados até ao final de 2021».

Por seu turno, o gerente do Café Vitória, Daniel Torres, salientou a «importância destas contratações de fornecimento de refeições», porque «é sempre dinheiro que entra e permitem faturar», numa altura em que o negócio teve uma queda abrupta.

«Antes era uma multidão de pessoas que atendíamos, hoje ‘a relva está a nascer nos passeios da Rua Augusta’, não há pessoas na rua», afirma Daniel Torres, gerente desta unidade de restauração, há 10 anos, e que se «mantêm aberto em regime de takeaway de 2ª a 6ª feira, até às 15 horas, para manter os clientes».

Hoje, o menu do Café Vitória consistiu num prato de carne assada ou lasanha com espinafres, pão, bebida e gelatina.

#ComércioNaLinhaDaFrente

Quer comentar a notícia que leu?