CARLA TAVARES ELEGE HABITAÇÃO COMO PRIORIDADE PARA A AMADORA

0

A socialista Carla Tavares reeleita, com maioria absoluta, como presidente da Câmara Municipal da Amadora, tomou posse na quarta-feira (20 de outubro), no Cineteatro D. João V. Na cerimónia procedeu-se ainda à a instalação da Assembleia Municipal e da Câmara Municipal da Amadora, pelo presidente da Assembleia Municipal cessante, António Ramos Preto.

«A Amadora é uma cidade solidária, humanista, uma cidade que promove a igualdade, que promove o respeito pela diferença», afirmou Carla Tavares, durante a cerimónia de tomada de posse como presidente da Câmara Municipal de Oeiras, elencando como prioridades a mobilidade, a habitação e a coesão social, reconheceu a existência de alguns problemas que persistem no concelho, nomeadamente a nível da higiene urbana.

A candidata socialista, que renovou o «seu compromisso com os amadorenses», aproveitou a cerimónia para agradecer «a todos os profissionais de saúde do concelho», que tiveram um papel importante no combate à pandemia.

A autarca, que considera que tem uma responsabilidade acrescida perante os resultados, que lhe deram a reeleição com uma maioria «muito confortável para a Câmara Municipal e uma maioria para a Assembleia Municipal» e também a conquista de seis juntas de freguesia, realçou, em declarações a Olhares de Lisboa, que as suas grandes prioridades se prendem com a habitação, a par da saúde, da educação e dos apoios sociais.

Apesar de ser o concelho mais pequeno da Área Metropolitana de Lisboa, a Amadora tem uma «enorme densidade populacional», o que leva a que a habitação continue a ser a principal prioridade do executivo municipal agora empossado.

Carla Tavares anunciou que vão ser investidos 67 milhões de euros, até 2025, no fomento da construção municipal e na construção ou reabilitação de fogos para arrendamento a preços controlados, o que irá beneficiar mais de 300 famílias.




A par desse investimento, a autarquia está empenhada na erradicação dos bairros degradados do concelho. «Tínhamos 26 mil pessoas a viverem em situações indignas nos 34 bairros do concelho. Neste momento, já estamos a trabalhar nos último dois: o da Cova da Moura e o da Encosta da Brandoa», afiança Carla Tavares.

Na cova da Moura, revela, «já estamos em fase de avaliação dos terrenos e estamos a trabalhar com os proprietários dos terrenos. Enquanto na Encosta da Brandoa o processo, também considerado urgente, vai permitir o realojamento, ao abrigo do Programa Especial de Realojamento (PER), de várias famílias que vivem em condições desumanas.

A autarca, após salientar que tem sido feito um trabalho muito grande, mas ainda há caminho a fazer nessas áreas, conta com o PRR (Plano de Recuperação e Resiliência português) e também com as novas gerações de politicas de habitação (o 1º Direito e os programas de rendas condicionadas) para conseguir minimizar os problemas de habitação do concelho.

Carla Tavares anunciou ainda o alargamento da proteção por videovigilância e a construção da nova esquadra da Reboleira e reforço da Polícia Municipal

Quem são os vereadores eleitos

Na Amadora, o Partido Socialista elegeu sete mandatos: Carla Maria Nunes Tavares (presidente); Vítor Manuel Torres Ferreira; Luís Filipe Moutinho Lopes; Susana Isabel dos Santos Nogueira; Ana Carla Carvalho Venâncio; Ricardo Miguel Franco Faria, e José Agostinho Marques.

A coligação Dar Voz à Amadora (PPD/PSD.CDS-PP.A.MPT.PDR.) elegeu Suzana Maria de Freitas Santos Garcia; Martinho Joaquim Mendonça Caetano e Man Lin.

A CDU elegeu António Manuel Batista Borges.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here