fbpx
Domingo, Fevereiro 5, 2023

COM A CDU, PELO DIREITO À CIDADE!

Após as eleições autárquicas do passado dia 26 de setembro, a CDU na cidade de Lisboa reforçou-se. Obteve mais votos expressos e maior percentagem para a Câmara Municipal e Assembleia Municipal, mantendo o número de eleitos em ambos os órgãos, dois vereadores no primeiro e seis deputados municipais no segundo, num contexto em que estavam inscritos menos 17.000 eleitores e com uma maior abstenção (menos 10.000 pessoas a votar!) que em 2017.

UMA ALTERNATIVA PARA LISBOA (ENTRE CILA E CARÍBDIS)

Os resultados eleitorais de 26 de Setembro ditaram que Lisboa será governada, no futuro próximo, por Carlos Moedas numa coligação abrangente de Direita que juntou sociais-democratas progressista a monárquicos conservadores.

NOVOS TEMPOS, ESTAMOS PRONTOS!

As recentes eleições autárquicas ditaram, para muitos, uma surpreendente viragem política na cidade.

AS ATIVIDADES ECONÓMICAS LOCAIS NA ORGÂNICA DO(S) MUNICÍPIO(S)?

Há uns tempos atrás, numa daquelas lojas, que ainda nos fazem manter o gosto de refletir e pensar o Comércio. Numa livraria na Rua do Poço dos Negros tive oportunidade de descobrir uma publicação editada pela Câmara de Lisboa, datada de 1948, com o sugestivo título de “L´Administration Municipale da la Ville de Lisbonne”.

CENÁRIOS PARA O FUTURO DO COMÉRCIO DE PROXIMIDADE NO PÓS-PANDEMIA

Não há memória viva de um cenário em que, existindo oferta e procura, o comércio (que só surge como corolário do cruzamento de ambas) não tivesse condições para "poder acontecer", gerando aquilo a que, à falta de melhor designação, designo por “DesComércio”.

O CÉU DE ABRIL DE 2021

Já diz o velho ditado, “abril, águas mil”. Este mês é estatisticamente dos mais chuvosos do ano, o que normalmente significa poucos dias de céu limpo. Mas como só se consegue prever quando é que vai chover, com precisão, apenas com 3 dias de antecedência, aqui ficam alguns eventos celestes para procurarem, caso não chova.

UM PEQUENO GRANDE CONTO SOBRE COMÉRCIO(S)

As incertezas que o comércio tradicional vive em tempos de pandemia é o tema do «pequeno grande conto sobre o comércio», que, essencialmente, pretende ser uma reflexão sobre a realidade do sector do retalho em Portugal.

TERRA, A ESTRELA DA TARDE MARCIANA

Texto no âmbito do Projeto "Cultura, Ciência e Tecnologia na Imprensa", promovido pela Associação Portuguesa de Imprensa.

PENSAR O COMÉRCIO (…) A “PRETO E BRANCO”?

Após superar-se a pandemia, existem fortes razões para apostar em abordagens inovadoras e ambiciosas de se pensar, planear e trabalhar o comércio das nossas cidades, vilas e aldeias.

A ECONOMIA NÃO PODE PARAR MAS PRIMEIRO ESTÃO AS PESSOAS

João Barreta, antigo diretor municipal da Câmara de Lisboa, explica em cinco atos a economia e o nosso comércio em contexto de pandemia, salientando que estamos a viver tempos de poucas certezas e muitas incertezas.

ÚLTIMAS