O dia 25 de janeiro é o primeiro dia do Ano Novo Chinês. A Alameda D. Afonso Henriques vai engalanar-se para receber, em 2020, o ano do Rato, que representa a abundância e a esperança de novas oportunidades.

Não há doze badaladas, muito menos doze passas e flutes de champanhe. O Ano Novo chinês em Lisboa festeja-se com desfiles, máscaras, feiras e concertos. O dia 25 de janeiro é o primeiro dia do Ano do Rato, animal que, no zodíaco chinês, será generoso somente com àqueles a que é afeiçoado e, por isso, se receber um presente, deve avaliar-se em relação ao valor que representa para ele.

Na República Popular da China as comemorações chegam a durar quinze dias, envolvendo muitos espetáculos e desfiles nas ruas, além de fogo-de-artifício. Em Lisboa, as celebrações são mais comedidas, mas mobilizam também centenas de pessoas da comunidade chinesa. A ocasião serve também para assinalar os 40 anos de relações diplomáticas entre os dois países e o 20º aniversário da Região Administrativa de Macau.

Este ano, a comunidade chinesa em Portugal vai trazer a Lisboa dois grupos de artistas, um deles de Macau e outro da primeira província que esteve na base da formação da China e que se situa nas margens do rio Amarelo.

O programa das comemorações do Ano Novo Chinês em Lisboa, que decorrerão nos dias 18 e 19 de janeiro, foi apresentado, ontem, em Conferência de Imprensa nos Paços do Concelho de Lisboa, e contou com a presença do embaixador da Câmara Municipal de Lisboa, Santana Carlos, a conselheira da Cultura da Embaixada da China, Li Ji, e Choi Man Him, do Estoril Sol, e pelo administrador da Unidade de Negócios da China da Fidelidade, Miguel Machado.

Assim, segundo o programa, no dia 18 de janeiro realiza-se um desfile com centenas de figurantes (constituídos por acrobatas, músicos e atores), que parte da Igreja dos Anjos em direção à Alameda D. Afonso Henriques, vão desfilar pela avenida associações culturais e comerciais chinesas, escolas, entidades variadas e bandas, estando prevista demonstrações de artes marciais, danças, roupas tradicionais e músicas típicas de várias regiões da China. O tradicional dragão também não deve ficar de fora e vai ser uma presença marcante durante o desfile.

Durante todo o dia haverá ainda uma feira tradicional na Fonte Luminosa da Alameda com produtos chineses e outros espetáculos.

No dia 19 de janeiro, continua a feira e várias mostras das tradições e culturas chinesas.

O zodíaco ou horóscopo chinês divide-se em 12 signos: Rato, Boi, Tigre, Coelho, Dragão, Serpente, Cavalo, Cabra, Macaco, Galo, Cão e Porco. Terminado o “reinado” do Porco, é a vez do Rato, um animal que, para os chineses, representa um ano de abundância, trazendo a oportunidade e bons projetos.

Desta forma, a partir do dia 25 de janeiro (primeiro dia do ano novo chinês) todos, incluindo os portugueses, vamos ter um ano mais feliz do que a maioria: livre dos eventos e das guerras explosivas e com muito menos catástrofes do que por exemplo os anos do tigre ou do dragão.

Quer comentar?

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.