CRIANÇA “DESENHA” ENTREGA DE CASAS EM OEIRAS

O desenho é uma das formas genuínas da criança se expressar no mundo e expressar o seu mundo. E, na segunda-feira, 25 de julho, Isaltino Morais foi surpreendido por uma criança que lhe entregou um desenho, durante a cerimónia de entrega de 14 chaves de habitação Municipal, alusivo ao momento que se estava a viver.

Raramente o presidente da Câmara Municipal de Oeiras é “surpreendido” em plenas cerimónias públicas de entregas de chaves de habitação municipal.  Mas, segunda-feira, a Marina, filha de um dos casais que recebeu as chaves, conseguiu “desarmar” Isaltino Morais ao oferecer-lhe um desenho em que expressava a sua vivência emocional pelos pais receberem uma casa municipal.

Isaltino Morais, que prometeu mandar emoldurar este desenho por expressar (mais do que um discurso) as emoções da Marina, entregou casas a diversos tipos de famílias identificadas no âmbito do Observatório da Habitação, localizadas no Bairro dos Navegadores, no Bairro dos Barronhos, na Unidade Residencial Madre Maria Clara, na Outurela/Portela, no Bugio, em São Marçal e no Bairro Francisco Sá Carneiro.

Assim, foram 14 famílias a receber, segunda-feira, dia 25, as chaves das suas novas casas pelas mãos do presidente da Câmara Municipal de Oeiras, Isaltino Morais, que se encontrava acompanhado pelo Executivo Municipal e pelos presidentes de Uniões e Juntas de Freguesias, numa cerimónia que decorreu no Salão Nobre do Palácio do Marquês de Pombal. As Crianças do Projeto Novos Horizontes animaram o início desta sessão, com uma atuação musical.

Isaltino Morais destacou que “a casa é o princípio de tudo” e a base de todas as iniciativas municipais, relembrando a política de habitação levada a cabo ao longo dos anos pelo Município de Oeiras e que eliminou as ‘barracas’, com o realojamento de milhares de famílias.

A terceira geração de políticas de habitação, que se estende até ao presente, contempla a construção e reabilitação de mais de 4600 fogos, em programas como o de Habitação Jovem e de Arrendamento Apoiado, contribuindo para a coesão social do Concelho e para o desenvolvimento do seu território.






Do universo dos agregados familiares que foram realojadas no âmbito do Observatório da Habitação, verifica-se que o tipo de família predominante são da tipologia monoparental e/ou isolados com quatro núcleos familiares desta tipologia.

Relativamente aos fogos disponíveis, destaca-se os que foram atribuídos no Bairro dos Navegadores, em Porto Salvo e no Bairro dos Barronhos em Carnaxide, com um total de três em cada um dos bairros. Foram ainda atribuídos dois fogos na Unidade Residencial Madre Maria Clara, um na Outurela/Portela, um no Bugio, dois em São Marçal e dois no bairro Francisco Sá Carneiro.

As tipologias atribuídas com maior expressão são T1 e T2, com seis casas de cada uma destas tipologias. Serão também entregues um T3 e um T0.

Quer comentar a notícia que leu?