CRIANÇAS DO ENSINO BÁSICO TIVERAM UM DIA NA ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE LOURES

Incentivar a participação jovem e fortalecer a democracia local, porque para participar no futuro é preciso conhecer no presente, foram as principais razões que levaram a Assembleia Municipal de Loures a criar o programa de «Um dia na Assembleia Municipal», dirigida aos jovens Ensino Básico e Secundário, do concelho.

A Assembleia Municipal de Loures desafiou as escolas do ensino Básico e Secundário do concelho a «levarem» os seus alunos a «ocuparem», por um dia, as cadeiras dos deputados municipais e conhecerem, por dentro, o que se passa no Palácio dos Marqueses da Praia e de Monforte, sede deste órgão que desempenha o papel de fiscalização do executivo municipal, podendo votar moções de censura, acompanhar e fiscalizar a atividade da câmara municipal e das empresas municipais.

Este programa, conforme refere Susana Amador, presidente da Assembleia Municipal de Loures, destinado a crianças e jovens do Ensino Básico e Secundário, pretende dar a conhecer aos jovens o espaço onde está instalada a Assembleia Municipal, bem como dar a conhecer a importância deste órgão deliberativo, porque a «valorização e fortalecimento da Democracia implica que, desde o início da sua formação, as crianças e os jovens possam conhecer a organização do sistema político e a forma como este se dirige à prossecução do interesse coletivo».

Para Susana Amador – que respondeu às perguntas mais pertinentes dos jovens, tanto em relação ao funcionamento ao funcionamento da Assembleia Municipal, às competências da presidente, dos secretários da Mesa da Assembleia e os direitos e deveres dos eleitos locais – teve como principal objetivo promover a participação jovem e de fortalecer a democracia local, porque «só há Democracia efetiva se tivermos vilas e cidades democráticas. É essa a nossa ambição: tornar Loures uma cidade participativa, democrática, inteligente, educadora e aberta ao mundo».

Na sessão inaugural, participaram setenta crianças do 4.º ano da Escola Básica de Fetais, em Camarate, que manifestaram curiosidade, na sua maioria, em saber o que é e como funciona a Assembleia. Assim, de forma informal, a presidente do órgão, Susana Amador, explicou que «esta casa da Democracia recebe todos os cidadãos e também está aberta para quem quiser esclarecimentos nas reuniões. Este é dos órgãos mais jovens porque foi criado após o 25 de Abril, tendo autonomia e competência para fiscalizar, nomeadamente, a atividade da Câmara Municipal, ou seja, o trabalho que se faz no nosso território, e por isso estão aqui representados todos os partidos políticos com maior número de eleitos. Este é um órgão que representa a vontade do povo de Loures e o nosso objetivo é servir bem o concelho de Loures, garantindo que as pessoas vivam com qualidade de vida».

Em resposta a outras questões, e considerando que «da pergunta nasce o conhecimento», a responsável municipal também afirmou que «a Assembleia, enquanto espaço da cidadania, estabeleceu para este e para os próximos anos a realização de encontros, conferências e seminários sobre vários temas, como os Direitos Humanos. A próxima sessão, no âmbito do interesse coletivo, será nas comemorações de Abril».





“Um dia na Assembleia Municipal de Loures” realizou-se ontem, segunda-feira, pela 1º vez e contou com a participação de com 70 crianças do 4º ano de escolaridade da Escola Básica de Fetais, que, após esta «sessão extraordinária» deste órgão fiscalizador, visitaram o Palácio dos Marqueses da Praia e Monforte, um edifício do século XIX reabilitado em 2001, onde está instalada a Assembleia Municipal.

Na sessão, estiveram presentes, ainda, o primeiro secretário da mesa da Assembleia, João Paulo Simões, e o presidente da União das Freguesias de Camarate, Unhos e Apelação, Renato Alves.

 

 

 

Quer comentar a notícia que leu?