ELOGIO AO PROGRESSO TRAZIDO PELO “25 DE ABRIL”

Isaltino Morais aproveitou as comemorações da “Revolução dos Cravos” para instar os democratas de Oeiras para uma luta sem tréguas contra “todos os extremismos” que pretendam minar o sistema democrático 

A Câmara Municipal de Oeiras comemorou o 48º aniversário do “25 de Abril de 1974” com um programa que, além das cerimónias oficiais (a Sessão Solene onde se homenagearam ex-autarcas do concelho e o Hastear das Bandeiras), incluiu duas ações no Bairro do Casal da Choca (Porto Salvo), inaugurações e lançamento de empreitadas de obras de requalificação e de construção da Alameda da Zona C, em Porto Salvo.

No final das cerimónias e inaugurações, em declarações ao OLHARES DE LISBOA, o presidente da Câmara Municipal de Oeiras mostrou-se “muito satisfeito” pelo simbolismo da data ter tido “a maior unanimidade” alguma vez registada entre as diferentes forças políticas com representação no concelho. E, nesse contexto, lembrou que “os democratas não devem baixar a guarda” na defesa intransigente dos valores da liberdade e do humanismo nascidos no regaço do 25 de Abril, mas que podem estar a ser “ameaçados” pelas ações beligerantes da “extrema direita e da extrema esquerda”, que se acantonam no seio da democracia para dela tirar proveito, minando o sistema democrático a partir das suas entranhas, segundo Isaltino Morais, uma vez que as “imperfeições” da democracia portuguesa poderão gerar uma legião de descontentes que se reveem na “mensagem” política das forças extremistas.

“Não podemos baixar a guarda e ficar-nos pela cobardia do politicamente correto. Temos de levantar “armas” contra aqueles que querem deitar abaixo o sistema democrático liberal”, sublinhou.

“A democracia portuguesa não é perfeita. Continuamos na cauda da Europa, em risco de nos tornarmos num dos países menos desenvolvidos da união Europeia, mas não devemos esquecer os enormes avanços sociais que o país teve no pós-25 de Abril”, lembrou o edil, que aproveitou para enaltecer as transformações sociais nascidas depois da “Revolução dos Cravos”, nomeadamente na Saúde, na Educação, na Habitação, avanços estes que retiraram alguns milhões de portugueses da pobreza, do analfabetismo, da marginalização social.

Pelo mesmo prisma, Isaltino Morais ressalvou ainda que foi graças ao “25 de Abril” que as autarquias se converteram em verdadeiros atores da mudança, podendo assumir a liderança na edificação de obras públicas que muito têm contribuído para as melhorias substâncias da qualidade de vida da população.





O edil inaugurou a empreitada de Requalificação dos Espaços Exteriores da Quinta da Estrangeira e o lançamento da primeira pedra da obra de construção da Alameda da Zona C., mas também as instalações da Academia Cultural Sénior de Aprendizagem (ACSA), no Palácio Ribamar, em Algés. No total, a intervenção nestes equipamentos consistirá num investimento municipal de mais de 1,5 milhões de euros.

Nota de redação:  Artigo a desenvolver na edição impressa de Olhar Oeiras 

Quer comentar a notícia que leu?