EMEL SÓ VAI COBRAR ESTACIONAMENTO COM O FIM DO CONFINAMENTO

1

Os lisboetas vão continuar a não pagar o estacionamento na via pública, «não se prevendo uma data para a reposição dos pagamentos. No entanto, sabe-se que «enquanto as condições do confinamento se mantiverem esta suspensão também se mantém», diz a EMEL.

O pagamento do estacionamento na via pública em Lisboa vai continuar suspenso enquanto as atuais condições de confinamento se mantiverem, revelou o vereador Miguel Gaspar, responsável pelo pelouro da Mobilidade.

Apesar de a Câmara de Lisboa, presidida por Fernando Medina, ter avançado há um mês que a medida estaria em vigor até 28 de fevereiro, a proposta aprovada pela Câmara de Lisboa e pela Assembleia Municipal de Lisboa «não prevê uma data de fim», assegura o gabinete do vereador da Mobilidade, Miguel Gaspar, que já afirmou que, «enquanto as condições do confinamento se mantiverem esta suspensão também se mantém».

Por outro lado, como reafirma o vereador Miguel Gaspar, os residentes com dístico continuam, assim, a poder «estacionar gratuitamente em qualquer parque da Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa (EMEL)», salientando que os dísticos que estivessem válidos em 15 de janeiro mantêm-se válidos até 31 de março.

Mas, como tem sido sublinhado por diversos responsáveis, os fiscais da EMEL continuam a fiscalizar o cumprimento do código da estrada, no que diz respeito ao estacionamento em passeio ou em passadeira de peões.

A Assembleia Municipal de Lisboa, recorde-se, aprovou, no dia 2 de fevereiro, a suspensão temporária do pagamento de estacionamento na via pública tarifado pela EMEL, com os votos contra do PS e a favor das restantes forças políticas.




A medida (proposta pelo CDS) já tinha sido aprovada pela Câmara de Lisboa, em 21 de janeiro, com os votos favoráveis do PSD, CDS, BE e PCP e os votos contra do PS, que tem um acordo de governação da cidade com o Bloco. A proposta precisava, porém, do aval da Assembleia Municipal.

Três dias depois (24 de janeiro), a autarquia, presidida por Fernando Medina (PS), anunciou que o pagamento do estacionamento iria ser suspenso de 25 de janeiro a 28 de fevereiro. Agora, com o prolongamento do confinamento, pelo menos até final de março, a autarquia decidiu que, só com o fim do confinamento obrigatório, a EMEL pode cobrar o estacionamento.

#ComércioNaLinhaDaFrente

1 COMENTÁRIO

  1. Na Rua Maria Pia desde dia 12 de Fevereiro a policia Municipal vai la multar todos os dias ai nao colocam estacionamento para nos moradores deixarmos os carros

Quer comentar a notícia que leu?