EURODEPUTADA VISITOU AS OBRAS MAIS EMBLEMÁTICAS EM CURSO EM LOURES

0

No âmbito da sua atividade regular no Parlamento Europeu, a CDU promoveu a vinda da eurodeputada Sandra Pereira ao concelho de Loures. Esta visita teve como pontos fulcrais a observação in loco de algumas das obras de maior vulto que estão a ser levadas a cabo em Loures.

Bernardino Soares, que fez o papel de cicerone, liderou a visita à obra de regularização fluvial e controlo de cheias da ribeira do Prior Velho, vulgo Caneiro de Sacavém, que o líder autarquia considera a “maior obra alguma vez feita em Loures” e que “vai acabar com o problema das cheias”, que era uma verdadeira dor de cabeça para as populações e que “ninguém tinha tido a coragem de resolver”.

Perante a atenção e o interesse manifestado pela eurodeputada, o presidente de câmara explicou que a intervenção e requalificação vai custar aos cofres da autarquia “mais de 11 milhões de euros”. Trata-se da reconstrução de um caneiro e de uma infraestrutura junto ao rio Trancão que permita que, quando há maré cheia, não haja refluxo da água. “É um projeto com investimento comunitário e uma obra complexíssima, que fica enterrada e não se vê, mas que vai acabar com as cheias na zona”, asseverou.

Em declarações ao OLHARES DE LISBOA, o edil manifestou algum descontentamento perante o atraso da obra, até porque o comércio local “está a ser afetado” pelo impacto da intervenção, mas adiantou que a empresa construtura “já foi penalizada com uma coima de 300 mil euros”, verba essa que, em parte, será canalizada para reforçar os programas de apoio financeiro aos comerciantes mais afetados pela obra.

Pese embora os atrasos, Bernardino Soares prevê que “até final do ano” a obra esteja concluída – sendo que o objetivo inicial apontaria para a conclusão no final do verão -, ficando, assim, definitivamente sanado um problema que se repetia ano após ano.

Uma “nova vida” para o Infantado





A comitiva camarária prosseguiu a visita com uma paragem nas obras de construção do pavilhão gimnodesportivo da Escola Básica João Villaret e do Parque Urbano do Infantado, em Loures. Bernardino Soares, em amena “cavaqueira” com a eurodeputada Sandra Pereira, admitiu que a construção do novo pavilhão escolar no Infantado é um encargo “assumido por outros”, anotando que “estamos a cumprir as promessas do executivo anterior”.

Relativamente ao Parque Urbano do Infantado, o edil assumiu que a intervenção em curso vai trazer “mais qualidade de vida aos residentes”, uma vez que a população daquela urbanização vai poder passar a contar com uma área verde de 32 mil metros quadrados “com vista para a várzea” rica em biodiversidade e que tem o importante papel de servir de barreira natural à preservação da riqueza dos ecossistemas existentes na área natural que antecede o “betão” do Infantado, bem como da contenção de cheias.

O Parque Urbano do Infantado terá, entre outras valências, hortas comunitárias, espaços de lazer ao ar livre e para a prática desportiva e um anfiteatro que trarão, no seu conjunto, uma nova vida ao bairro.

Sandra Pereira, por seu turno, assumiu a sua “admiração” por um projeto que irá mudar a face de uma zona urbana com grande densidade populacional e que promete “trazer mais qualidade de vida” aos moradores e à população de toda a freguesia.

O regresso dos patos ao Trancão

A visita teve o seu término no projeto de recuperação da linha de água do rio Trancão (projeto ValoRio), em Bucelas. Trata-se de uma intervenção “natural” das margens do Trancão, onde vão ser plantadas 1700 árvores, como forma de criar “açudes naturais”, que pretendem devolver ao rio Trancão a biodiversidade de outrora e voltar a transformar as margens daquela linha de água num local aprazível, em que os habitantes “voltem a usufruir do seu rio”, isto é, deixem de estar de costas voltadas para aquele espaço e que o Trancão se assuma “novamente” como um dos ex-libris de Bucelas.

Bernardino Soares lembrou que há, contudo, um diferendo com as Águas de Lisboa e Vale do Tejo, que “resolveram canalizar os resíduos de outros concelhos” para a ETAR de Bucelas, sobrecarregando-a. O edil espera que a empresa Águas do Tejo Atlântico “reforce” a ETAR de Bucelas para que o projeto de recuperação daquela linha de água (orçado em 350 mil euros) não seja comprometido.

Ao que parece, a recuperação já está a surtir efeito, pois já podem ser vistos, a olho nu, uma série de animais que não eram avistados há anos por aquelas paragens. Indiferentes à presença da comitiva, os patos e os cágados voltaram a tomar o rio como sendo seu.

Sandra Pereira confessou ao OL o seu “entusiamo” pelo conjunto intervenções que estão a ser feitas pela autarquia de Loures “em prol das populações”. A eurodeputada “não podia estar mais satisfeita” por constatar que a autarquia de Loures “está claramente apostada em melhorar a qualidade de vida dos seus munícipes” e que Loures “é um exemplo” que deve ser replicado “por todo o país” e que “pode servir de exemplo, mesmo lá fora”, uma vez que é um município empenhado “na promoção da verdadeira sustentabilidade”, concluiu.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here