EXPANSÃO DO METRO CONDICIONA TRÂNSITO NO CAMPO GRANDE POR 17 MESES

As obras de prolongamento das linhas Amarela e Verde do Metropolitano de Lisboa vão resultar em constrangimentos de trânsito na zona do Campo Grande, em particular no Terminal Rodoviário, bem como de circulação na Avenida Padre Cruz, a partir de 19 de janeiro.

O início das intervenções no Campo Grande, no âmbito da expansão do Metropolitano de Lisboa, vai condicionar o trânsito naquela zona da cidade, anunciou o Metropolitano de Lisboa que, em comunicado, anuncia que vai dar início à empreitada de projeto e construção dos toscos, acabamentos e sistemas para o prolongamento das linhas Amarela e Verde.

Estas obras implicam «a introdução de alguns constrangimentos de trânsito na zona do Campo Grande, em particular no Terminal Rodoviário, bem como de circulação na Avenida Padre Cruz».

Assim, a partir do próximo dia 19 de janeiro, e durante um período previsto de 17 meses, «será encerrado o Ramo de Saída Av. Padre Cruz / Estrada de Telheiras para o Terminal Rodoviário e Estádio, dando lugar à mudança temporária do percurso dos transportes coletivos para o terminal do Campo Grande, passando a saída de passageiros a ser feita em frente ao edifício da NOS e sob o viaduto da Segunda Circular», revela na mesma nota.

O Metropolitano de Lisboa adianta, igualmente, que a partir de 20 de janeiro e durante seis meses «existirão constrangimentos na circulação rodoviária na Av. Padre Cruz na sequência da supressão da via esquerda tanto na faixa sentido Odivelas-Lisboa, como também na faixa sentido Lisboa/Odivelas, e de condicionamento de berma da Av. Padre Cruz no sentido Lisboa/Odivelas».

A construção da nova linha circular irá implicar a construção no Campo Grande de um novo viaduto de cerca de 158 metros que permitirá ‘fechar’ o anel no Campo Grande”, reconhece a empresa, acrescentando que, «a atual linha Amarela, na extensão Campo Grande/Odivelas, será também ligada ao atual troço de Telheiras, através de um viaduto de 428 metros implantado a norte dos viadutos já existentes».






1 COMENTÁRIO

Quer comentar a notícia que leu?