Dia Internacional da Mulher celebra-se, anualmente, a 8 de março. O mote deste ano para o Dia da Mulher é «Pensemos em Igualdade, Construção com Inteligência e Inovação para a Mudança». Fernando Medina entrega medalha mérito municipal ao MDM

Este ano o governo decretou o dia 7 de março de luto nacional contra a violência doméstica, na véspera do Dia Internacional da Mulher. Mariana Vieira da Silva, ministra da Presidência e da Modernização Administrativa considera que «este é um dia em que não devemos apenas homenagear as vítimas e manifestar a nossa solidariedade com as suas famílias, mas também renovarmos, coletivamente, o nosso propósito de continuar o combate a uma realidade intolerável».

A violência doméstica é um problema de todos, que tem de ser travado por todos. assim, nos próximos dias, o país vai unir-se na luta contra a violência doméstica, em memória das vítimas, e num apelo à necessidade de se fazer mais, mas principalmente melhor.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, já pediu a mobilização da sociedade, no combate a um fenómeno que salta a cada dia para as páginas dos jornais e no qual a intervenção das autoridades e instituições é muitas vezes tardia.

«Portugal tem acordado com tristes notícias sobre o brutal aumento da violência doméstica, do qual já resultaram 12 mortes trágica», escreveu o Presidente, a 22 de fevereiro, na página oficial da Presidência, por ocasião do Dia Europeu das Vítimas de Crime.

Por seu turno, o primeiro-ministro, António Costa, através do Twitter, apelou à necessidade de haver uma sociedade unida em torno da violência doméstica, já que “as grandes tragédias exigem-nos a partilha da dor coletiva pelo luto da nação”.

Só este ano já morreram mais de 10 mulheres vítimas de violência doméstica. De acordo com dados revelados pela GNR, PSP e PJ, já foram detidas mais de 120 pessoas suspeitas de crimes relacionados com violência doméstica.

Manuela Tavares, membro da direção da União de Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR), faz um apelo à união, sobretudo das mulheres, para hoje usarem uma peça de roupa preta. Amanhã, dia 8, a UMAR também apela a todas as pessoas, mas sobretudo às mulheres, a saírem à rua, no final da tarde, de modo a ser reivindicado os direitos das mulheres. Em Lisboa a concentração pode ser feita no Terreiro do Paço, a partir das 17h30.

Esta efeméride decorre desde 1975, ano em que a ONU oficializou o dia 8 de março como o Dia Internacional da Mulher.

MDM condecorado

No âmbito das comemorações deste dia, criado com o propósito de recordar as lutas sociais, políticas e económicas travadas pelas mulheres, o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, entrega amanhã, Dia Internacional da Mulher, a Medalha Municipal de Mérito ao Movimento Democrático de Mulheres (MDM), numa sessão que decorre a partir das 17h30 no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

A distinção destina-se a reconhecer o MDM «pelo trabalho desenvolvido em defesa dos direitos das mulheres ao longo dos seus 50 anos de existência», lê-se na moção que foi aprovada pelo executivo municipal.

 

 

About The Author

Related Posts

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.