FILHO DE JÚLIO POMAR EXPÔE NO PALÁCIO DOS ANJOS

0

A Câmara de Oeiras convidou o filho do pintor Júlio Pomar, que pertenceu à 3ª geração de pintores modernistas portugueses, o artista plástico Vítor Pomar a expor no Palácio dos Anjos. Intitulada “Unsurpassable – Imbatível”.

A Câmara Municipal de Oeiras vai apresentar ao público, a partir do dia 14 de maio até 25 de julho, no Palácio Anjos – Centro de Arte Contemporânea, em Algés, um dos mais importantes momentos expositivos do artista plástico Vítor Pomar, intitulada “Unsurpassable – Imbatível”.

“Unsurpassable – Imbatível” é um registo único que, tendo um cunho antológico recente, mas também uma enorme energia prospetiva, permite conhecer em toda a sua plenitude todo o universo multidisciplinar de um dos criativos portugueses mais originais e determinantes das últimas quatro décadas.

A pintura, mas também o desenho, a fotografia e o vídeo, compõem esta exposição inspirada na busca de valores fundamentais tanto da existência-realidade como do próprio processo criativo.  Interrogação e prática do olhar, no contexto de uma interação dinâmica com a pintura, proposta como objeto de apreciação plural e descoberta ativa.

Como refere o artista, a exposição é fruto de situações «de reflexão e de partilha de coisas que o tem fascinado» ao longo do seu percurso de vida, marcado pela sua ida para o Porto, aos 6 anos, na companhia da mãe que se tinha separado do pai, o pintor Júlio Pomar, e também pelo exílio na Holanda, em desacordo com a guerra colonial, onde se deparou com uma realidade cultural totalmente diferente da então existente em Portugal e que lhe permitiu o contacto com diferentes «formas de vida e de pensamento», nomeadamente a tibetana, liderada pelo Dalai Lama.

No fundo, como refere esta exposição pretende ser uma reflexão sobre o zenismo e, ao mesmo tempo, fazer uma ligação entre a cultura ocidental e a oriental.




A mesma opinião é partilhada por João Mendes, chefe da Divisão Cultural da Câmara de Oeiras, lembrando que os tempos de pandemia que atravessamos «convidam à reflexão e à ponderação daquilo que é importante nos dias de hoje», sendo também um «convite ao conhecimento e à auto-reflexão, inspirada na filosofia Zen», espraiando-se por uma «oferta multidisciplinar (filmes, fotografias, pinturas e textos) mas ao mesmo tempo única».

Um pouco de história do artista

Filho do pintor Júlio Pomar, nasceu em 1949, em Lisboa, Vítor Pomar vive e trabalha em Assentiz, Rio Maior, tendo frequentado a Escolas de Belas-Artes do Porto e de Lisboa (1966-1969). No ano seguinte emigrou para a Holanda onde frequentou a Academia Livre de Haia e a Academia de Arte de Roterdão, completando os estudos em 1973. Ensinou serigrafia na Academia Livre de Haia entre 1973 e 1974. Entre 1976 e 1985, ano em que regressou a Portugal, trabalhou no quadro do “Regulamento dos Artistas Plásticos” (BKR) em Amesterdão.

Utiliza no seu trabalho técnicas tão variadas como a fotografia a preto e branco, o cinema experimental em 16 mm e Super 8 e o vídeo. No que se refere à pintura, a utilização exclusiva do preto e branco marca grande parte da sua produção (1977-1985). Ainda que alguns cinzentos apareçam, é o contraste máximo dos valores luminosos que predomina. A leitura do movimento também é facilitada por este cromatismo que recusa a sensorialidade.

O primado do plano do suporte é respeitado em diversos aspetos, desde a marca do arrastamento dos pigmentos até à sugestão de alguma forma plasmada, obtida a partir da utilização de um pano ou papel recortado. No arrastamento dos pigmentos surgem por vezes estrias, que sugerem transparências e luminosidades, sempre subordinadas à presença do movimento. Assim, também por isto, o contraste preto/branco, no plano, corporiza-se. Entre a presença inerte da tinta e o seu domínio gestual uma textura oticamente ativa é criada. A sua obra mais recente reflete referências do Abstrato-Expressionismo e uma forte heterodoxia pessoal. Vítor Pomar foi o vencedor do Prémio de Pintura EDP-arte, em 2002.

“Unsurpassable – Imbatível”

De 14 de Maio a 25 de julho

De Terça a Domingo das 11H00 às 17H00, última entrada às 16H40.  Encerra aos feriados.

Entrada limitada a 30 pessoas. – Obrigatório uso de máscara.

ENTRADA LIVRE

MORADA: Palácio Anjos – Centro de Arte Contemporânea

Alameda Hermano Patrone, 1495-064 Algés

Quer comentar a notícia que leu?