Quase 300 quilómetros separam a Câmara Municipal de Lisboa do Caramulo. E é precisamente essa distância que vai percorrer hoje uma viatura histórica da autarquia lisboeta.

Às 10 horas da manhã desta sexta-feira, uma “pão de forma”, que faz parte do património histórico do município de Lisboa irá partir para a vila do distrito de Viseu com duas árvores autóctones dos viveiros da autarquia.

O objetivo da viagem solidária “De Lisboa, Uma Árvore para o Caramulo” é chegar ao Caramulo Motorfestival e oferecer às árvores para serem plantadas na Serra do Caramulo, afetada pelos incêndios do ano passado.

Para Duarte Cordeiro, esta é “uma iniciativa muito feliz”.  Segundo o vice-presidente da Câmara Municipal de Lisboa  trata-se de “um ato de solidariedade com uma parte do território do país que foi fustigado pelos fogos”.

Mas é também uma forma de mostrar como “a Câmara Municipal de Lisboa tem tratado com muito carinho as viaturas históricas da cidade”, uma vez que acabam por contar um pouco da história da capital, tais como as bibliotecas itinerantes ou as antigas viaturas da polícia.

Também presente na apresentação do projeto, José Sá Fernandes deu conta do “futuro muito risonho” desta iniciativa.

O vereador para o ambiente da Câmara Municipal de Lisboa aproveitou para lembrar que Lisboa será Capital Europeia Verde em 2020. “Verde não só das árvores, mas também da frota mais eficiente, e das políticas da energia, poluição e ruído”.

A carrinha Volkswagen que vai partir esta manhã é apenas uma das viaturas históricas que fazem parte do espólio da autarquia lisboeta.

No total, são dezassete os veículos, dos quais seis estão já recuperadas e reparadas. Segundo a Câmara Municipal de Lisboa, parte destas viaturas têm certificado de património com relevância histórica.

Entre elas, destacam-se uma Citröen HY1500 que serve de biblioteca itinerante, um Land Rover de 1980 da Polícia Municipal e um Oldsmobile de 1928, que será o táxi mais antigo conhecido em Lisboa e que circulou durante 50 anos, transportando figuras como Fernando Pessoa ou Pablo Picasso.

VIAGEM

O Caramulo Motorfestival, que este ano decorre entre hoje e domingo, dia 9 de setembro, é uma iniciativa do Museu do Caramulo e realiza-se consecutivamente desde 2006.

De acordo com o diretor-delegado do museu, “este é um dos eventos relacionados com automóveis e motociclos clássicos com mais edições consecutivas em Portugal”.

Tiago Patrício Gouveia salientou a importância desta iniciativa solidária da Câmara Municipal de Lisboa, considerando com “um dos momentos mais importantes do evento”.

Explicou o responsável que o Museu do Caramulo, criado em 1953, sofreu em dois momentos com o flagelo dos incêndios. “Felizmente está a regenerar-se”, afirma.

A viagem da “pão de forma” será feita por estradas secundárias. Irá passar e fazer paragens pela Aldeia de Amoreira, Torres Novas, Pedrogão Grande e Vila Nova de Poiares.

As árvores que transporta vão ser plantadas no jardim público da vila do Caramulo.

A viatura vai ainda participar no grande desfile do Caramulo Motorfestival, que marca o encerramento do festival no próximo domingo.

Quer comentar?

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.