JUNTA DÁ MÁSCARAS A COMERCIO LOCAL EM ALVALADE

0

A Junta de Freguesia de Alvalade, em Lisboa, está a distribui 20 máscaras reutilizáveis por cada estabelecimento de comércio local do Bairro de Alvalade, prevendo distribuir 4000 máscaras a todos os comerciantes.

A Junta de Freguesia de Alvalade, após ter decidido dispensar de rendas as lojas do mercado de Alvalade e do quiosque do Jardim dos Coruchéus e isentar de taxas, até 30 junho, os comerciantes locais, avançou hoje com mais uma medida de apoio ao comércio tradicional, com a distribuição de 4 000 máscaras de proteção reutilizáveis pelos comerciantes do Bairro de Alvalade.

O presidente da Junta, José António Borges, percorreu hoje algumas das lojas mais emblemáticas, dando início à distribuição destes equipamentos de proteção individual, reutilizáveis e totalmente fabricados em Portugal, numa empresa com sede na Trofa, incentivando assim, a recuperação económica do sector têxtil português.

Segundo José Borges, «o bairro é conhecido pelo seu comércio, que é a alma de toda a dinâmica económica da freguesia» e que, de um dia para outro, viu esse desempenho «ser interrompida» pela pandemia do covid-19.

Por isso, havia a necessidade de a Junta «encontrar» uma ação que auxiliasse esses proprietários. A solução encontrada foi a aquisição de máscaras (pagas totalmente pela edilidade) para serem distribuídas pelos comerciantes e fregueses dos estabelecimentos. Com esta iniciativa, explica José Borges, é possível minorar a situação económica dos comerciantes, muitos deles sem liquidez financeira para adquirirem máscaras para «distribuir pelos seus fregueses», de forma a que estes se «sintam seguros e confortáveis em voltarem aos estabelecimentos, nesta segunda fase do desconfinamento».

Salientando que estas máscaras, que podem ser utilizadas até cinco vezes, são certificadas pelo CITEVE, cumprindo uma capacidade de filtração e respirabilidade no contexto de nível 3, de cerca de 70%, José Borges revelou que a autarquia, em cooperação com o comércio local, representado pela Associação de Comerciantes de Alvalade, vai prolongar, no tempo, a distribuição de máscaras, sublinhando que todos os estabelecimentos foram contactados.

«À medida que as lojas forem aderindo, nós forneceremos mais máscaras», afirma José Borges, confidenciando ainda que «consoante formos retomando as atividades normais, dentro das regras definidas pela DGS, a Junta de Freguesia vai realizar várias ações de dinamização do comércio local», promovendo assim «o retorno das pessoas à rua». Mas, avisa, «esse retorno tem de ser realizado em segurança. As pessoas têm que utilizar máscaras e cumprir as normas do distanciamento social».

Na perspetiva de José Borges, a distribuição destes equipamentos vai ajudar na manutenção da higiene e segurança de todos os espaços comerciais da freguesia, num esforço financeiro que a Junta assume como compensação pela importância deste sector na resposta às necessidades da população durante o período de confinamento e numa tentativa de que o comércio tradicional se mantenha como primeira opção para as compras do dia-a-dia.


Para o autarca, o comércio tradicional é parte da identidade do Bairro de Alvalade e, por isso, é necessário criar as condições para as pessoas comprarem em segurança, em espaço aberto e com todo o conforto.

Escreva aqui o seu comentário...