LISBOA E LIMA REFORÇAM LAÇOS DE COOPERAÇÃO

0

O presidente do Peru, Martín Vizcarra, de visita oficial de dois dias a Portugal para “reforçar os laços bilaterais e a cooperação”, recebeu as chaves da cidade de Lisboa das mãos de Fernando Medina.

A convite do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e no contexto de uma visita oficial à Europa, o Presidente da República do Peru, Martin Vizcarra, foi recebido hoje (25 de fevereiro)  nos Paços do Concelho, no âmbito de uma visita oficial que aquele chefe de Estado faz a Portugal, tendo recebido das mãos de Fernando Medina a Chave da Cidade.

“Lisboa, tal como Lima, a capital peruana, fica localizada junto ao oceano e ambas as capitais são cidades   milenares”, lembrou Fernando Medina, acrescentando que são “feitas de um cruzamento de culturas e civilizações, onde a integração das diferentes comunidades tem sido um exemplo de abertura, de tolerância e de boa convivência.”

O presidente da Câmara de Lisboa reputou a visita de “particular importância”, pois trata-se da primeira feita por Martin Vizcarra à Europa após a sua eleição em março do ano passado.

O autarca salientou, ainda, o “excelente relacionamento bilateral entre os dois países”, enfatizando a cooperação multilateral que Lisboa e Lima têm mantido no quadro da União das Cidades Capitais Ibero-Americanas e “o bom relacionamento através de contactos bilaterais». Como exemplo Medina salienta a inauguração, em 1964, da Rua da República Peruana na capital portuguesa e a instalação naquele local, vinte anos depois, de um busto do escritor e historiador peruano Garcilaso de la Veja (El Inca).

Por seu turno, Martin Vizcarra – que assinou o Livro de Honra e foi contemplado com um momento de Fado nas escadarias do edifício – afirmou: “Guardarei estas chaves com afeto e como símbolo da amizade portuguesa”.





O estadista peruano fez questão de deixar bem claro que existe uma “relação muito especial com Portugal”. Para além da amizade os dois governos e os povos dos dois países, Martim Vizcarra vinca a “matéria de valores. De defesa da democracia, dos direitos humanos, do meio ambiente e da igualdade.”

O chefe de Estado peruano salientou a coincidência de posições que existem entre os dois países em vários domínios, seja nos campos cultural, histórico, comercial, o que possibilita uma parceria duradoura. “Não só no campo político há coincidências entre os dois países, mas também na defesa da democracia, dos direitos humanos, do livre comércio”, disse Martín Vizcarra, referindo que Portugal e Peru são “parceiros estratégicos”. Para o chefe de Estado peruano, as relações comerciais têm-se incrementado entre os dois países devido a abertura do Peru e pela qualidade dos investimentos portugueses e assim, “com o passar dos anos, as relações têm-se fortalecido”.

Na terça-feira, Martin Vizcarra participará na abertura do Fórum Empresarial Portugal-Peru, na Associação Industrial Portuguesa (AIP).

Escreva aqui o seu comentário...