LISBOA LAMENTA MORTE DA ACTRIZ MARIA JOÃO ABREU

0

Maria João Abreu morreu esta quinta-feira, aos 57 anos, no Hospital Garcia de Orta, depois de ter sofrido um aneurisma cerebral, na passada semana, durante as gravações da novela «A Serra». A Câmara de Lisboa já lamentou a morte da artista, que foi madrinha das Marchas do Bairro Alto e da Penha de França

Nascida em Lisboa em 14 de abril de 1964, Maria João Gonçalves Abreu Soares estava internada desde 30 de abril no Hospital Garcia de Orta, em Almada, após sofrer dois aneurismas, não resistiu às sequelas. A morte foi confirmada esta quinta-feira.

A notícia chegou quando já estava preparado o final da sua personagem na novela da SIC «A serra». Será com uma carta de despedida que a padeira Sãozinha Grilo, a personagem interpretada por Maria João Abreu, sairá da história.

Foi durante as gravações que a atriz se sentiu mal, entrando em convulsões e desmaiando. Foi assistida no local mas, pela gravidade da situação, acabou por ser transferida para o Hospital Garcia de Orta, em Almada, onde foi submetida a duas intervenções cirúrgicas, tendo sido induzida em coma e o diagnóstico foi sempre reservado, principalmente pelo rompimento de um dos aneurismas. Aos 57 anos, a artista já andava preocupada com fortes dores de cabeça, além de ter perdido muito peso nos últimos meses. Amigos garantem que associava os sintomas à fibromialgia, doença crónica neurológica que lhe tinha sido diagnosticada há uns anos.

Durante as últimas quase duas semanas, a família mais próxima não arredou pé do hospital. Ao marido, o músico João Soares, juntaram-se os filhos de Maria João, Miguel e Ricardo Raposo, frutos do casamento anterior desta com o ator José Raposo, que também esteve sempre ao lado deles.

A atriz iniciou a carreira profissional no teatro, uma paixão que nunca abandonou, mas a televisão foi o meio que a tornou mais popular, graças a produções como “Médico de família”.


A sua forte ligação a Lisboa levou-a a ser madrinha das Marchas Populares do Bairro Alto e da Penha de França. Entretanto, a Câmara Municipal de Lisboa, através das redes sociais, já lamentou «profundamente a morte precoce» da atriz Maria João Abreu, e enviou «à família e amigos as mais sentidas condolências».

Nascida em Lisboa, e a caminho de cumprir 40 anos de carreira, Maria João Abreu era considerada uma artista completa, tendo começado a carreira aos 19 anos no Teatro Maria Matos, no musical “Annie”, de Thomas Meehan.

No cinema, a estreia de Maria João Abreu deu-se em 1999, com o filme «António um rapaz de Lisboa», de Jorge Silva Melo, seguindo-se depois participações em obras como «Amo-te Teresa», de Ricardo Espírito Santo e Cristina Boavida, «Telefona-me», de Frederico Corado, e «A Falha», de João Mário Grilo.

Atualmente, participava, na SIC, na série de comédia «Patrões Fora» e na telenovela «A Serra».

NOTA: Artigo atualizado pelas 21h51

Quer comentar a notícia que leu?