LISBOA PROTEGE JÁ APOIOU 583 EMPRESAS COM 2 MILHÕES DE EUROS

0

A Câmara de Lisboa informou que «já deu ordem de pagamento da 3.ª tranche do apoio a fundo perdido do Programa Lisboa Protege a 583 empresas do comércio e restauração da cidade».

A Câmara Municipal de Lisboa já deu ordem de pagamento da 3ª tranche do apoio a fundo perdido do Programa Lisboa Protege a 583 empresas do comércio e restauração da cidade. Um apoio, até ao momento, de 2 milhões de euros.

Desde 2 de junho, altura em que foi lançada esta tranche que se destina ajudar as empresas a enfrentar a retoma pós-confinamento, a autarquia recebeu 2933 pedidos. Lançado inicialmente em dezembro de 2020, o Lisboa Protege já apoiou 4331 empresas da cidade. Esta linha de apoio, a fundo perdido, já entregou 26 milhões de euros até ao dia de hoje, e tem previsto entregar mais 8 milhões, com esta nova tranche da retoma, que é direcionada às empresas já apoiadas por este programa e que se mantenham em atividade.

O montante da 3ª tranche é no mesmo valor das outras duas já processadas, ou seja, entre 2000 a 5000 euros, consoante o volume de negócios do estabelecimento, continuando abertas as inscrições para empresas de Lisboa pertencentes aos setores mais afetados pela pandemia, com volume de negócios até um milhão de euros e quebras de faturação acima de 25 por cento. Podendo os empresários escolher agora o 1º trimestre de 2021 (período do confinamento) para calcular a quebra de faturação.

90 milhões para apoios

O Lisboa Protege prevê gastar um total de 90 milhões de euros para apoiar empresas, famílias e os setores cultural e social da cidade. Deste valor, 40 milhões destinam-se a conceder apoios a fundo perdido aos comerciantes que registam quebras de rendimento no âmbito da evolução da pandemia de Covid-19.




Os apoios a fundo perdido para as empresas com contabilidade organizada, que registem quebras de faturação superiores a 25%, serão de dois mil euros se o volume de negócios anual for inferior a 100.000 euros e podem chegar aos cinco mil euros caso o volume de negócios se situe entre os 500.000 euros e um milhão de euros.

As empresas que registam um volume de negócios entre 100.000 euros e 300.000 euros receberão três mil euros, enquanto as que têm um volume de negócios entre 300.000 euros e 500.000 euros terão direito a quatro mil euros de apoio a fundo perdido.

Já os empresários em nome individual podem receber uma verba que varia entre os 500 euros e os 2.500 euros consoante o seu volume de negócios, de acordo com a Câmara de Lisboa.

A autarquia indicou que continuam abertas as inscrições para empresas de Lisboa pertencentes aos setores mais afetados pela pandemia, com volume de negócios até um milhão de euros e quebras de faturação acima de 25%.

No comunicado, é ainda revelado que os empresários podem agora escolher “o 1.º trimestre de 2021 (período do confinamento) para calcular a quebra de faturação”.

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here