A nova Loja do Cidadão de Lisboa abriu hoje e já tem filas. Este novo espaço, situado no Mercado 31 de Janeiro, ao Saldanha, é o único dedicado a assuntos relacionados com a carta de condução.

Lisboa volta a ter três Lojas do Cidadão desde hoje. Esta terceira Loja fica no Mercado 31 de Janeiro e, neste novo espaço, é possível tratar de dezenas de serviços, burocracias e documentos.

Depois do encerramento da Loja dos Restauradores, em 2013, a nova unidade junta-se à das Laranjeiras e de Marvila, na oferta da capital. Cerca de vinte anos após a inauguração da primeira Loja de Cidadão em Portugal, o novo espaço pretende assumir uma «nova centralidade na cidade de Lisboa», frisa a Câmara Municipal em comunicado.

Como novidades, o espaço tem a distribuição de senhas antecipadas, cerca de 15 minutos antes da abertura da Loja, bem como a existência de uma equipa de mediadores da Câmara Municipal de Lisboa que ajuda os cidadãos no encaminhamento para as entidades ou serviços que pretendem.

Com uma área de 2.400 metros quadrados e com cerca de 154 funcionários, distribuídos por “várias dezenas de serviços”, esta nova loja prevê atender mais de 700 mil pessoas por ano, tendo implicado um investimento de 2,2 milhões de euros.

Considerado «um dos principais polos de prestação de serviços públicos» em Lisboa, o espaço vai disponibilizar serviços de Finanças, Instituto da Segurança Social (ISS), Instituto de Registos e Notariado (IRN), Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT), Espaço Cidadão, Iniciativa Lisboa, Gebalis – Gestão do Arrendamento da Habitação Municipal de Lisboa, Carris e EMEL – Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa.

Na Loja do Cidadão do Saldanha também vai ser permitido pedir ou renovar o cartão de cidadão e o passaporte, revalidar ou alterar a carta de condução, obter registo criminal, entregar documentos de despesas para a ADSE e requisitar o cartão Lisboa VIVA, entre outros.

Dia 4, quarta-feira, a ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Mariana Vieira da Silva, e o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, vão visitar o novo espaço no Saldanha.

Filas de espera

Quem chegasse hoje à nova Loja do Cidadão do Saldanha depararia com o cenário habitual de qualquer outra Loja do Cidadão em Lisboa, ou seja, completamente cheia.

Foi este o cenário com que se deparou José Henriques, 43 anos, que foi tratar da renovação da carta de condução no IMT – Instituto de Mobilidade e Transportes. «Quando cheguei já estava cheio de gente», refere. Este utente «já tinha tentado renovar na delegação do IMT em Lisboa, mas as filas eram impossíveis. Tenho esperança de resolver aqui o assunto».

Comerciantes queixam-se

Já os comerciantes do mercado queixam-se do tempo que as obras duraram. Ana Reis, que gere o café Pão Market, refere, «estamos contentes com a loja do cidadão. É uma boa montra. E, como tal, seguramente vamos ter mais clientes”.

No entanto, esta comerciante lamenta: “tivemos tudo entaipado, o que é normal numa situação de obras, mas é lamentável que não tenham coloca uma faixa a dizer que estamos abertos. Inclusivamente as letras do mercado eram em inox e pintaram-nas de branco, sobre um fundo branco, o que retirou toda a visibilidade».

Ou seja, refere Ana Reis, os comerciantes tiveram prejuízos e vários contratempos: «retiramos conforto aos clientes, porque nos retiraram a caixa multibanco uma semana antes de começarem as obras da loja do cidadão e perdemos clientes, porque estávamos a mandá-los para o centro comercial para fazerem levantamentos. Como deve calcular, uma padaria ou uma banca de legumes não tem multibanco».

«Se tivéssemos sido ouvidas estas situações podiam ter sido resolvidas a tempo e não foram», adianta Ana Reis.

Pólo de atração…

Apesar das contestações dos comerciantes, a autarquia salienta que esta nova Loja de cidadão vai levar milhares de potenciais clientes ao Mercado 31 de Janeiro. Segundo a autarquia, «este espaço assumirá uma nova centralidade na cidade de Lisboa, constituindo-se como um dos principais polos de prestação de serviços públicos no município».

Duas das novidades no atendimento desta Loja, como atrás referimos, são a distribuição antecipada de senhas, cerca de 15 minutos antes da abertura da Loja, bem como a existência de uma equipa de mediadores da Câmara Municipal de Lisboa que prestará auxílio no encaminhamento dos cidadãos para as entidades ou serviços que pretendem.

A empreitada de adaptação do edifício teve como responsáveis, pelo projeto e pela empreitada, a Agência para a Modernização Administrativa (AMA) e o Município de Lisboa, respetivamente, tendo sido iniciada em novembro de 2018.

 

About The Author

Related Posts

Quer comentar?

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.