No Dia Internacional da Mulher, a Câmara Municipal de Lisboa entregou a Medalha Municipal de Mérito ao Movimento Democrático de Mulheres (MDM).A distinção, aprovada por unanimidade pelo executivo municipal e entregue por Fernando Medina no Dia Internacional da Mulher, 8 de março, reconhece o trabalho do MDM desenvolvido em defesa dos direitos das mulheres ao longo dos seus 50 anos de existência.

Um acto escolhido de forma deliberada para esta data, afirmou Fernando Medina, que salientou o papel da organização “na defesa de valores tão essenciais da nossa democracia: do progresso, da luta antifascista e, em determinado momento, os valores da revolução.”

O município distingue, desta forma, “o trabalho desenvolvido pelo MDM em defesa dos direitos das mulheres ao longos dos seus 50 anos de existência”, lembrou o presidente da autarquia, defendendo que se trata do “justo reconhecimento a um movimento com um património de intervenção constante e permanente na luta por políticas de igualdade e pelo cumprimento dos direitos das mulheres”.

Numa sociedade desenvolvida, próspera, respeitadora dos direitos individuais e colectivos, construída com base na tolerância e assente na liberdade, temos obrigação de continuar a lutar diariamente por este objectivo”, sublinha Fernando Medina, para rematar que “se a igualdade é uma batalha de todos, ela é também, e fundamentalmente, uma batalha dos homens.”

Direitos

Por seu turno, Sandra Benfica, que recebeu pelo MDM a medalha,  lembrou o “longo percurso de cooperação com a autarquia” e reiterou a disponibilidade do movimento para prosseguir o trabalho.

“Uma decisão que muito nos honra, particularmente num tempo em que os direitos e a protecção das mulheres sofrem reveses em Portugal e no mundo”, afirmou Sandra Benfica, que lembrou palavras de Maria Lamas, fundadora e histórica dirigente do MDM, para vincar que “a importância do reconhecimento do papel e da luta persistente e continuada de um colectivo de mulheres na defesa dos direitos e da dignidade de todas, é ainda maior porque através dele se está a reconhecer sobretudo a importância e a justeza das causas que abraçamos.”

A dirigente feminista deixa ainda palavras de “justo reconhecimento às sucessivas gerações de mulheres que têm construído, ao longo de muitas décadas, a acção do MDM em prol da emancipação das mulheres na nossa cidade e no nosso país.” Um movimento que, sublinha, “vem ao longo de cinco décadas movimentando-se com aquilo que nós designamos ‘a força da vida´”

A cerimónia foi encerrada por um breve momento musical de guitarra portuguesa, com Luísa Amaro e Ana Sadio.

About The Author

Related Posts

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.