NOVO PARQUE DA CIDADE APRESENTADO EM ODIVELAS

0

Projetado pelo Gabinete de Arquitetura Paisagista de Caldeira Cabral e Elsa Severino, o Novo Parque da Cidade prioriza a conservação da identidade e do património histórico daquele espaço, que remonta ao século XIII.

A Câmara Municipal de Odivelas apresentou o estudo prévio do Novo Parque da Cidade, que vai surgir junto ao Mosteiro de Odivelas. Situado numa zona com 8 hectares, o espaço agora projetado pretende ser uma zona que concilia o património histórico da cidade com uma parte mais lúdica, não esquecendo a saúde e o bem-estar. Estarão assim à disposição dos visitantes piscinas, zona de restauração, um grande palco para eventos, um lago, pontes suspensas, cascatas e 435 lugares de estacionamentos.

Para os arquitetos Francisco Caldeira Cabral e Elsa Severino, “a reabilitação dos centros históricos faz-se não só restaurando os seus edifícios patrimoniais, como também através da criação de novos usos para os espaços livres, que possam atrair a população para desfrutar do seu património histórico de uma forma dinâmica e atual. No caso concreto do Mosteiro de Odivelas o espaço livre da cerca é um espaço fundamental na estrutura verde do concelho. A valorização da vegetação existente e a sua salvaguarda, bem como as novas plantações que permitirão aumentar a biodiversidade, irão criar um ecossistema mais sustentável, que contribui significativamente para o abaixamento da pegada de carbono. A salvação do planeta Terra passa, certamente, pela criação de novos espaços verdes, e pela salvaguarda do nosso património histórico que neste caso tem cerca de 700 anos de existência”.

Para que tal possa acontecer, o projeto manteve elementos já existentes, como a grande pérgula que atravessa todo o parque, adaptando a paisagem às novas componentes lúdicas, de saúde e bem-estar e tornando forte a presença da água neste território com benefícios ambientais e estéticos.

Com o intuito de ser atrativo para todos os que o visitarem, este Novo Parque da Cidade irá contar com o Claustro das Artes na Praça Central, que integrará um edifício que será um local de encontro com as artes e os artistas, de forma a reforçar a ligação histórica e artística ao Mosteiro de Odivelas, ou com a Mata do Rei, local com grande herança histórica que servirá como zona de passeio e prática de exercício físico.

Na zona denominada Vale, término de um grande relvado, será construído um riacho com cascatas e o acima referido lago que, para além dos benefícios ambientais, permitirá aproveitar as águas subterrâneas para a rega do parque.




Ao longo do lago, haverá um percurso em passadiço suspenso e à borda do lago existirão vários degraus que formarão um anfiteatro sobre a água.

A piscina já existente será recuperada, de forma a que possa ser construída uma mais pequena para crianças, com zona de apoio de balneários e um café/esplanada.

Se a tudo isto juntarmos o Jardim da Princesa, junto ao Mosteiro que terá um carácter mais intimista, e o Talude, com os seus anfiteatros naturais, estará criada a receita certa para alguns momentos de grande descontração.

Projetado também está o Grande Palco de 400m2, a situar na zona Norte do grande relvado. Com bancadas, terá capacidade para receber espetáculos mais intimistas ou grandes eventos.

Junto ao parque infantil irá situar-se a Praça da Comida e zona de piquenique, com cafés e restaurantes, e uma zona com um conjunto de grandes árvores que será dedicada a espaço de piquenique.

Hugo Martins, presidente da Câmara Municipal de Odivelas, referiu-se a este novo Parque da Cidade como “a concretização de um sonho antigo, que integra o Projeto de Revitalização do Mosteiro de Odivelas”.

Adianta o autarca que, pelas várias valências que apresenta, este futuro parque será uma referência na Área Metropolitana de Lisboa ao nível cultural, artístico, de lazer, saúde e bem-estar, estando certo que “este é o primeiro passo de um ambicioso projeto que irá reforçar ainda mais a qualidade de vida no concelho”.

Com um investimento estimado nos 11 milhões de euros, prevê-se que a conclusão das obras deva acontecer para o final de 2023. O nome a dar ao Parque da Cidade nascerá de um futuro concurso de ideias, lançado pela autarquia junto dos munícipes.

Quer comentar a notícia que leu?