O CONVÍVIO E A UNIÃO SÃO FUNDAMENTAIS NA MARCHA DA BICA

A Marcha da Bica está a ensaiar desde o dia 5 de abril, no Liceu Passos Manuel, e todos os dias de segunda a sexta. Por isso, e conforme explica ao Olhares de Lisboa o coordenador da Marcha da Bica, Pedro Duarte, “é preciso ter alguma disponibilidade para ser marchante”.

No entanto, não foi difícil arranjar marchantes, até porque a grande parte já vem da edição de 2020, entretanto cancelada por causa da pandemia. “Conseguimos manter o grupo previsto, apesar de termos algumas alterações”, conta-nos Pedro Duarte, que acrescenta que a grande parte dos marchantes não reside na Bica. “Muitos vivem noutros bairros lisboetas, mas têm ligações à Bica”, diz o coordenador, revelando que até há marchantes oriundos da Margem Sul do Tejo.

Por isso, não é obrigatório viver na Bica para fazer parte da marcha, mas sim “gostar e amar as marchas”, explica o coordenador. A média de idades dos marchantes da edição de 2022 ronda os 27/28 anos, sendo que os mais velhos têm 44 anos.

“É importante termos um grupo jovem para a tradição não morrer”, diz-nos Pedro Duarte, acrescentando que “quem experimenta, não quer sair da marcha, porque nós, aqui na Bica, fomentamos o convívio para além das marchas, realizamos várias iniciativas para além dos ensaios”, que passam por jantares, almoços, entre outros.

Os ensaios decorrem até ao dia 2 de junho no Liceu Passos Manuel. A Marcha da Bica, organizada pelo Marítimo Lisboa Clube apresenta-se a 3 de junho no Altice Arena. A 6 de junho, a Marcha retoma os ensaios até ao dia 11 de junho, para finalizar todos os preparativos para o desfile na Avenida da Liberdade, que acontece de 12 para 13 de junho, noite de Santo António.

Segundo Pedro Duarte, os ensaios decorrem dentro das normas da Direção Geral da Saúde (DGS), e no início, todos os marchantes eram obrigados a fazer testes rápidos de 15 em 15 dias, para despistar a Covid-19. Nas semanas intercalares, os marchantes tinham então que apresentar teste negativo ou Certificado Digital de Vacinação.





“No início dos ensaios, as pessoas ainda tinham algum receio da Covid, e por isso, tentávamos sempre manter as distâncias, e por isso, nos primeiros dias não fizemos as coreografias”, conta o coordenador da Marcha da Bica, que já venceu as Marchas de Lisboa sete vezes, sendo a última vez em 2003.

Em 2022, o ensaiador da Marcha da Bica é Américo Silva, e as músicas são da autoria de Miguel Ramos e Renato Júnior. Os figurinos estão a cargo do estilista Dino Alves e os padrinhos serão o escritor Tiago Torres da Silva e a fadista Joana Amendoeira.

Visite a loja https://olharesdelisboa.pt/produto/bica-2019/

Quer comentar a notícia que leu?