OEIRAS ESTÁ PREPARADA PARA UM TSUNAMI ?

O concelho de Oeiras está preparado para os efeitos de um tsunami, idêntico ao que aconteceu em 1755. Esta é a grande interrogação colocada por alunos do Instituto Universitário Atlântica, de Barcarena, que estão a realizar uma monografia final do curso de Gestão da Segurança, Emergência e Proteção civil.

A sociedade portuguesa, está a par com o risco real da ocorrência de Sismo seguido de Tsunami, á semelhança do evento registado a 1 de novembro de 1755, sendo previsível que o concelho de Oeiras seja severamente afetado pelos seus efeitos. Partindo desta premissa, Bruno Miguel Santos e Pedro Miguel Pires, alunos no instituto Universitário Atlântica, em Barcarena, estão a elaborar a monografia final das suas licenciaturas do curso de Gestão da Segurança, Emergência e Proteção Civil

A grande questão dos jovens estudantes, cuja tese é orientada pelo Professor Doutor Manuel João Ribeiro, prende-se com o facto do concelho de Oeiras estar preparado, para os efeitos de um Tsunami com caraterísticas semelhantes, ao que se fez sentir em Portugal a 1 de novembro de 1755?

Este é o ponto de partida para a monografia final de Licenciatura para o Curso de Gestão da Segurança, Emergência e Proteção Civil no instituto Universitário Atlântica em Barcarena Oeiras, que apelam a todos para participarem num inquérito que se destina especialmente e essencialmente a cidadãos que residam ou desenvolvam a sua atividade profissional no município de Oeiras».

Segundo explicam os jovens, «através da informação recolhida, pretendem realizar uma análise á sua precessão sobre riscos, bem como, a sua preparação para um evento desta escala», sublinhando que este «questionário é anonimo e confidencial e as respostas serão exclusivamente para fins académico-científicos».

Contactos dos autores





Bruno Miguel Santos Aluno Nº. 20202563 (20202563@uatlantica.pt) e Pedro Miguel Pires Aluno Nº. 20202564 (20202563@uatlantica.pt).

Orientador: Professor Doutor Manuel João Ribeiro (mjribeiro@uatlantica.pt)

Link para o questionário

Foto: Carta de Localização do Risco – CM Oeiras

Quer comentar a notícia que leu?