OEIRAS HOMENAGEOU EX-COMBATENTES, PRESOS POLÍTICOS E INAUGUROU ÉPOCA BALNEAR NO DIA DE PORTUGAL

0

Oeiras comemorou o 10 de junho com inauguração de um monumento aos presos políticos de Caxias, com a abertura da época balnear, com a instalação de torniquetes virtuais e com uma homenagem aos oeirenses mortos durante a guerra colonial.

Oeiras inaugurou hoje, Dia de Portugal e de Camões, um monumento evocativo da libertação, há 46 anos, dos presos políticos de Caxias e que marcou o fim de um regime ditatorial e o início da democracia em Portugal, salientou o presidente da Câmara Municipal, Isaltino Morais, que fez questão de salientar o papel preponderante que o concelho teve na revolução dos capitães.

«Foi em Oeiras que se realizaram muitas das reuniões preparatórias do 25 de Abril. Aqui viviam e vivem muitos dos militares da revolução dos cravos, nomeadamente o seu estratega o tenente-coronel Otelo Saraiva de Carvalho», afirmou Isaltino Morais, durante a cerimónia oficial de inauguração deste monumento em frente à estação da CP de Caxias, que contou com representantes da Associação 25 de Abril e dos antigos presos políticos.

A obra, assinada pelo escultor Sérgio Vicente, é num material resistente de aço corten, lembrando uma chama viva, a «da Liberdade», estando implantada em zona ajardinada junto à entrada da Quinta Real de Caxias, mas em frente à estação de caminho-de-ferro de Caxias, onde, diz-se, eram esperados pela polícia política provida de cães, os familiares e visitas dos presos, com a intenção de os amedrontar, explicou Isaltino Morais.

O autarca considera que se «trata de um monumento evocativo da libertação dos presos políticos, que ocorreu no dia 26 de abril de 1974, que faz parte da memória do valioso património social e político oeirense», recordando que, em 2019, o «município de Oeiras assinalou os 45 anos de libertação dos presos com o descerramento de uma placa evocativa no reduto norte da Prisão de Caxias».

Homenagem a militares mortos na guerra «do Ultramar»





Mas, o dia 10 de junho, em Oeiras, ficou também marcado por uma homenagem aos militares do concelho mortos durante a Guerra do Ultramar e pela inauguração da requalificação urbana da Rua Oeiras do Piauí, em Oeiras.

As cerimónias oficias do Dia de Portugal iniciaram-se com a tradicional cerimónia de homenagem aos Militares do Concelho mortos na Guerra do Ultramar, na Praça do Ultramar, no Bairro da Figueirinha, em Oeiras.

Na ocasião, Isaltino Morais fez questão de salientar que «não podemos apagar o nosso passado» e, por isso, homenagear os oeirenses que morreram ao «serviço da pátria» na guerra do ultramar é uma «questão de principio».

Ainda no âmbito das comemorações, Isaltino Morais inaugurou a requalificação urbana do cruzamento da Rua Oeiras do Piauí com a Av. Dr. Francisco Sá Carneiro e Av. do Ultramar, Oeiras. A alteração da configuração do anterior cruzamento, por uma solução de rotunda, teve por objetivo melhorar as condições de circulação no local, entre os bairros da Figueirinha e do Moinho das Antas. Esta obra, que representou um investimento de 440.178,40 euros, incluiu ainda o reforço da arborização da zona.

Oeiras inaugurou época balnear com semáforos e cabine de desinfeção

Hoje, o Município de Oeiras assinalou também a abertura oficial da época balnear nas praias do concelho que, pela primeira vez, foram todas galardoadas com Bandeira Azul.

O Presidente da Câmara Municipal de Oeiras, após explicar que «as praias foram abertas quatro dias depois da abertura a 6 de junho», porque a edilidade quis cumprir todas as regras de segurança aconselhadas pela Direção Geral de Saúde.

Assim, as praias de Santo Amaro de Oeiras, Torre, Paço de Arcos e Caxias, estas últimas com bandeira azul pela primeira vez, abriram oficialmente aos banhistas, cumprindo todas as medidas de segurança segundo as orientações de saúde face ao Covid-19.

Segundo Isaltino Morais, para cumprimento da legislação em vigor e por forma a garantir as melhores condições de segurança aos banhistas, o Município de Oeiras realizou um investimento superior a 400 mil euros nas seguintes medidas assistência a banhistas, através da contratação de 22 nadadores-salvadores e todos os equipamentos necessários para o efeito; limpeza e desinfeção regular dos equipamentos e principais superfícies de contacto (tampas dos ecopontos, chuveiros, lava-pés, instalações sanitárias, papeleiras e corrimões); colocação de instalações sanitárias de apoio à prática balnear na Praia de Santo Amaro, Paço de Arcos e Caxias.

Paralelamente a essas medidas, a Câmara de Oeiras – realça Isaltino Morais – «foi pioneira na instalação de um conjunto de painéis informativos nos parques de estacionamento e nas entradas das praias, onde colocou informação sobre as entradas e saídas disponíveis, equipamentos de apoio à prática balnear, corredores de circulação e zonas reservadas a grupos escolares e pessoas com mobilidade reduzida», sendo também pioneira na instalação de um sistema de semáforos e sinalética de contagem da capacidade de carga de cada praia. Este sistema está ligado à App Info Praia, que pode ser consultado a partir de casa, para se saber a ocupação de cada praia.

Segundo a Câmara, a capacidade máxima em cada praia de Oeiras, definido pela Agência Portuguesa do Ambiente: Praia da Torre – Limite de 3.000 utilizadores; Santo Amaro de Oeiras – Limite de 4.100 utilizadores; Paço de Arcos – Limite de 1.000 utilizadores; e Caxias – Limite de 1.700 utilizadores

A vereadora Joana Baptista, das Obras Municipais; Ambiente e Serviços Urbanos e do Departamento de Polícia Municipal e Proteção Civil, chamou a atenção de «para que seja possível respeitar a capacidade máxima de cada praia, que garanta o distanciamento social de segurança, foram limitadas as entradas no areal através da colocação de baias», recordando que a empresa que instalou o sistema de semaforização tem um programa que permite a deteção de pessoas infectadas com o Covid-19.

Nesta primeira fase, adianta Joana Baptista, as forças de segurança vão desempenhar um papel importante na sensibilização dos banhistas para não utilizarem a praia, quando está estiver lotada, realizando várias ações de prevenção. Após esse período inicial, as forças de segurança poderão tomar medidas punitivas para evitar grandes aglomerações. A vereadora lembra que, segundo as normas da DGS, se houver «situações repetitivas de superlotação das praias, estas podem ser encerradas».

À entrada da praia de Paço de Arcos foi colocada uma cabine de desinfecção para que todos os utentes, ao entrarem e ao saírem da praia, sejam submetidos «a um processo de descontaminação».

Por outro lado, os parques de estacionamento informais, foram também fechados, como é o caso da Fontaínhas. No que respeita aos parques de estacionamento formais, foram limitados os dias de utilização, como é o caso do estacionamento do Jardim Municipal de Oeiras que estará encerrado aos fins de semana e feriados.

Escreva aqui o seu comentário...