OEIRAS PREOCUPADA COM IDOSOS E CRIANÇAS

0

A crise pandémica está a provocar situações de rutura em diferentes Instituições Particulares de Solidariedade Social e, por isso, a Câmara de Oeiras atribuiu um apoio de 271 mil euros a IPSS que «tratam de idosos» e financiou a instalação de uma caldeira para a Casa do Parque.

A Câmara de Oeiras aprovou a atribuição de uma comparticipação financeira no valor global de 271.240,23 euros para as diferentes instituições que, no concelho, dão as respostas sociais de Centro de Dia e Centro de Convívio e que, por força do contexto pandémico, tiveram de encerrar os respetivos equipamentos e encontrar formas alternativas de continuar a assegurar apoio à população mais envelhecida.

Esse apoio aprovado pelo Executivo Municipal pretende assegurar, durante seis meses, uma resposta de qualidade aos utentes destas respostas sociais que, por força do contexto pandémico, se encontram comprometidas.

De facto, tendo em conta as caraterísticas dos equipamentos presentes no território, as entidades municipais encetaram, desde logo, «todos os esforços para garantir cuidados aos cerca de 700 utentes que se viram obrigados, no caso dos Centros de Dia, a regressar aos seus domicílios». Assim, e de forma cumulativa aos utentes de Serviço de Apoio Domiciliário, a autarquia garantiu a disponibilização de refeições e, em alguns casos, assegurou contactos telefónicos periódicos e atividades ao domicílio (estimulação cognitiva, apoio psicológico, entre outros).

«Consciente da diversidade de respostas que foram asseguradas e dos constrangimentos que estas entidades enfrentam diariamente para garantir um serviço de qualidade aos utentes, o município demonstrou disponibilidade, não só para promover uma troca de experiências que permitisse a replicação de modelos já aplicados, como para apoiar as referidas entidades, de forma a concretizarem respostas potenciadoras do bem-estar social, físico-motor e psicológico dos utentes», defende o comunicado agora emitido.

No entanto, ciente de que estes equipamentos não reativarão o seu funcionamento regular a curto prazo, a edilidade solicitou às entidades que remetessem projetos, perspetivados para um período de seis meses, e que contribuíssem para a continuidade dos cuidados prestados, mas, acima de tudo, para a introdução de outros essenciais. No território de Oeiras, 17 entidades de cariz solidário, asseguram o apoio à população mais envelhecida, coincidentes com as respostas sociais de Centro de Dia e Centro de Convívio.





Segundo a autarquia, «estas instituições são fulcrais para a prevenção da solidão e do isolamento, além de contribuírem para a participação e inclusão dos idosos na vida social local e de fomentar as relações interpessoais e intergeracionais. Importante também é a sua contribuição para retardar ou evitar ao máximo o internamento em instituições».

Financiamento de caldeira para Casa do Parque

Por outro lado, e para permitir que as crianças acolhidas pela Crescer Ser – Associação Portuguesa para os Direitos dos Menores e da Família/Centro de Acolhimento Temporário “Casa do Parque” voltem rapidamente a ter acesso a fazer a sua higiene dentro da instituição, a Câmara Municipal de Oeiras decidiu atribuir uma comparticipação financeira a esta instituição, no valor total de 1.629,15 euros, para apoio à aquisição de um sistema de aquecimento de águas (caldeira).

O sistema de aquecimento de águas ficou danificado na sequência de um incêndio ocorrido nas instalações do Centro, no passado dia 24 de outubro e, desde então, as crianças passaram a fazer a sua higiene diária nos balneários da Piscina Municipal da Outurela, disponibilizados pela empresa Municipal Oeiras Viva.

Perante esta realidade, a Crescer Ser solicitou ajuda à Câmara Municipal para a aquisição imediata da caldeira. O apoio financeiro agora solicitado, é justificado com as sérias dificuldades económicas que a Associação vem atravessando para fazer face às despesas extras originadas pela situação de pandemia. Esta situação tem obrigado, com muita frequência, a efetuar substituições dos colaboradores, que ficam impossibilitados de trabalhar por motivo de isolamento profilático, ou de baixa médica para apoio a familiares.

O Centro de Acolhimento Temporário Casa do Parque tem por objetivo acolher crianças com idades entre os 0 e os 12 anos, desprovidas de um meio familiar adequado e equilibrado, vítimas de negligência, abandono, maus tratos físicos e psicológicos. A sua implementação deve-se a uma conjugação de esforços entre o Município e a Associação acima referida, continuando a edilidade a manter um apoio permanente em diversas vertentes.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here