OEIRAS REFORÇA APOSTA NO TURISMO DE NEGÓCIOS COM NOVOS HOTÉIS

0

O concelho de Oeiras vai ter oito novas unidades hoteleiras até 2024, revelou o presidente da Câmara Municipal, Isaltino Morais, durante a cerimónia  de colocação da primeira pedra do B&B Hotel Lisboa Oeiras, em construção junto ao Parque dos Poetas.

O Grupo Casais lançou hoje a primeira pedra do B&B Hotel Lisbon Oeiras, um hotel de três estrelas que vai nascer em Oeiras e que será o primeiro de oito novos hotéis que estão previstos para o território até 2024, no âmbito da Estratégia Municipal do Turismo.

Implicando um investimento de 7,8 milhões de euros, o bed & breakfast três estrelas vai ter capacidade para 188 quartos, estando prevista a conclusão das obras para abril de 2020.

O presidente da Câmara Municipal de Oeiras, Isaltino Morais, acompanhado pelo vice-presidente da autarquia, Francisco Gonçalves, e pela presidente da União de Freguesias de Oeiras e São Julião da Barra, Paço de Arcos e Caxias, Madalena Castro, presidiu à cerimónia de colocação da primeira pedra e anunciou que, até 2027, vão ser construídos 20 novos hotéis no concelho, lembrando que, até 2024, vão ser edificados mais oito unidades, o que representa um importante crescimento na oferta hoteleira, essencial para a captação dos fluxos de turismo da região de Lisboa para o Concelho de Oeiras.

Taguspark, Outurela, Carnaxide, Margem Direita do Rio Jamor (Porto Cruz), Alto da Boa Viagem e Paço Real de Caxias são alguns dos locais onde vão nascer as futuras unidades hoteleiras.

Aprofundar turismo de negócios





A nova estratégia do Município visa aprofundar o modelo de Turismo de Negócios, desde logo com a conclusão do Centro de Congressos e Exposições (cuja revisão do projeto está já em curso) e cuja conclusão está prevista para 2023.

Isaltino Morais assinou, em conjunto com o vice-presidente da edilidade, a presidente da União de Freguesias de Oeiras e os administradores da Casais e da B&B hotels, respetivamente António Carlos Fernandes e Torcato Faria, uma carta para as gerações futuras que colocou numa cápsula do Tempo.

Após esta cerimónia simbólica, o presidente da autarquia oeirense referiu que o «turismo é complemento das atividades de Oeiras, um concelho que tem um volume de negócios na ordem dos 25 mil milhões de euros, gerados pelas empresas sediadas no concelho».

Isaltino Morais, após realçar que Oeiras Valley qualificou todo o território do concelho para acolher empresas, salientou que o modelo da estratégia turística de Oeiras paralelamente será alargado para novas áreas, cimentando a captação de grandes eventos internacionais e recuperação do património histórico-cultural do Concelho (Palácio Marquês de Pombal, Jardins, Casa do Bicho da Seda, Adega e Casa da Pesca, Igreja da Cartuxa e linha de fortes marítimos), na sua maior parte em curso.

Do ponto de vista do presidente da autarquia, «se há 30 anos não havia um único hotel no concelho, a evolução deveu-se à instalação de grandes empresas e, por isso, impõe-se hoje um novo salto que acompanha a afirmação de Oeiras Valley», revelando que, até ao final do ano deverá ser apresentado este plano municipal de turismo para Oeiras.

Investir em plena pandemia

Por seu turno, à semelhança do que já tinha dito Isaltino Morais, o administrador da Casais, empresa responsável pela construção da unidade hoteleira de Oeiras do Grupo B&B Hotels, António Carlos Fernandes reconheceu os desafios que a pandemia veio colocar, referindo, porém, que a situação não influenciou o lançamento da unidade hoteleira de Oeiras e das outras que o Grupo tem em carteira.

Este projeto que envolve um investimento de sete milhões de euros e foi desenhado tendo em conta a estratégia de flexibilidade na utilização do edifício, salienta o presidente executivo (CEO) do Grupo Casais, sublinhando que  «os nossos projetos foram criados para serem flexíveis», ou seja, estão concebidos de forma a poderem «ser convertidos noutro tipo de utilização», nomeadamente em habitação de mais curta ou longa duração, adaptando-se às necessidades do mercado.

Este alinhamento dos conceitos de utilização com as tendências de futuro, precisou o administrador da Casais, permite também encarar o «futuro com mais confiança».

Apesar dos efeitos da pandemia no turismo, António Carlos refere que Portugal tem conseguido manter um nível de atratividade forte e que a redução de turistas estrangeiros está sobretudo associada às dificuldades de movimentação que estes têm.

A conclusão do B&B Hotel Lisbon Oeiras está prevista para o segundo semestre de 2021, tempo que permitirá perceber melhor o rumo do impacto da pandemia no turismo e se a recuperação será mais rápida ou mais lenta.

Há 3 anos em Portugal

Já o administrador (CEO) da BB Ibéria, Torcato Faria, lembrou que estão «a fazer-se três anos que este grupo internacional entrou em Portugal» e que é, «extremamente gratificante, ser um hotel B&B o primeiro a instalar-se dentro de Oeiras».

Torcato Faria, após referir que Portugal é um dos 14 países onde o grupo está implantado, salientou que «o hotel se baseia num conceito de três estrelas altas, que se coadunam muito bem com a projecão internacional de Oeiras, tanto a nível económico como a nível social e cultural».

Com 93 quartos, com capacidade para 189 camas e 19 espaços interiores de estacionamento, o B&B Hotel Lisbon Oeiras integra o lote de seis unidades hoteleiras do Grupo B&B Hotels construídas pela Casais, que assume a promoção de cinco destes hotéis, nomeadamente Montijo, Vila Nova de Gaia, Olhão e Guimarães, além do de Oeiras.

Criada em 1958, a Casais opera, atualmente, em 16 países, além de Portugal.

Por sua vez, a B&B Hotels é uma cadeia de hotéis que teve início em França em 1990. Desde então, já abriu hotéis na Alemanha, Itália, Marrocos, Polónia e Portugal, tendo mais de 500 unidades em toda a Europa.

Escreva aqui o seu comentário...