OS MARCHANTES DA MARCHA DA MADRAGOA MARCHAM SEMPRE DESCALÇOS

O grupo de marchantes da Marcha da Madragoa tem idades entre os 18 e os 45 anos e todos têm ligações ao bairro, “embora algumas pessoas já não vivam cá”, explica ao Olhares de Lisboa o responsável da marcha, Nuno Soares.

Segundo o mesmo, há alguns estreantes em 2022 e que entraram na Marcha da Madragoa por “influência de amigos e familiares”. Contudo, mais de metade dos marchantes “já marcham aqui há muitos anos”. Por isso, a organização não teve dificuldades em captar pessoas para a Marcha da Madragoa, que já venceu as Marchas Populares em 1994, e que tem tido sempre bons resultados.

“Em menos de 15 dias, conseguimos todas as pessoas que nos faltavam para o grupo”, conta o responsável, acrescentando que “os bons resultados ajudam a trazer pessoas para a marcha”, juntamente com o facto de a Madragoa marchar sempre descalça, o que “desperta imensa curiosidade”. “Marchamos descalços porque faz parte da nossa identidade. A Madragoa era conhecida por ser um bairro de varinas e pescadores, que andavam descalços, e essa tradição que trazemos para a nossa marcha”, explica Nuno Soares.

Para além do primeiro lugar, há 28 anos, a Marcha da Madragoa já ganhou vários segundos e terceiros lugares nas Marchas Populares. Segundo o responsável, “o trabalho que vamos apresentar este ano foi iniciado em 2019. Nesse ano, o júri apontou-nos muitos erros, que entretanto já foram corrigidos e por isso, estou convicto que este ano poderemos ganhar”.

Os ensaios estão a “correr normalmente”, de segunda a sexta-feira, nas instalações da Junta de Freguesia da Estrela. De acordo com Nuno Soares, quase todos os marchantes estão vacinados contra a Covid-19. Para já, ninguém está a usar máscara, mas no final desta semana, os ensaios vão voltar a ser feitos com máscara, uma vez que as apresentações estão a chegar.

Segundo o responsável da Marcha da Madragoa, se alguém testar positivo à Covid-19 será substituído por um suplente. Em relação aos últimos dois anos sem desfiles, devido ao vírus, Nuno Soares explica que estes dois anos “foram vividos com muita tristeza. As Marchas Populares trazem muita alegria aos bairros de Lisboa, promovem o encontro das pessoas e ficámos muito tristes sem essa tradição, sem esse encontro e agora estamos muito ansiosos por estar de volta”.





Nuno Soares é também o presidente da coletividade organizadora da Marcha da Madragoa, o Esperança Atlético Clube, e é marchante na Madragoa desde 1996. No entanto, este ano não vai marchar, por opção própria, embora “continue presente na marcha, pois, para além de coordenador, também ajudo nos ensaios”, sendo que, “no caso dos marchantes mais novos, acabo por lhes ensinar como se marcha e dou-lhes muitas dicas”.

A Marcha da Madragoa apresenta-se no Altice Arena a 5 de junho, e depois na Avenida da Liberdade, na noite de 12 para 13 de junho. “O objetivo é ganhar e mostrar a nossa garra”, explica o responsável. Em 2022, os padrinhos da Marcha da Madragoa são a influenciadora digital Ana Garcia Martins (Pipoca Mais Doce) e o ator Bruno Cabrerizo.

O ensaiador e autor dos figurinos é João Medeiros, que é também autor das letras, juntamente com Mariana Peres. A conceção dos figurinos está a cargo de Fauze El Kadre e as músicas foram compostas por António Duarte Martins e Francisco Bahuto. Bruno Sanhá e Mia Pereira são as mascotes.

Visite a loja:https://olharesdelisboa.pt/produto/madragoa-2019/ 

Quer comentar a notícia que leu?