PAPA FRANCISCO ADIA VISITA A PORTUGAL

0

Por causa da pandemia do Covid-19, o Papa Francisco já não vem a Portugal, tendo adiado para agosto de 2023, as Jornada Mundiais da Juventude Católica, que vão decorrer na zona do Parque das Nações.

O Papa Francisco decidiu adiar, para o verão de 2023, a sua visita a Portugal para presidir às celebrações da Jornada Mundial da Juventude, por causa da pandemia da Covid-19 que obrigou o Vaticano a adiar as viagens do sumo pontífice. Esta seria a segunda visita do Papa Francisco a Portugal depois de ter estado presente no Centenário das Aparições, em 2017, quando a canonização dos pastorinhos Jacinta e Francisco.

Ontem, o Vaticano, em comunicado, sublinhava que «as atuais circunstâncias de saúde pública, as consequências económicas que daí advêm e, sobretudo, a necessidade de concentrar esforços e recursos no apoio aos mais fragilizados levaram o Papa Francisco a anunciar que a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) terá lugar em 2023, em Lisboa».

No mesmo comunicado, o Vaticano explica que, à semelhança do que acontece com este encontro, também o Encontro Mundial da Família também foi adiado um ano, realizando-se em junho de 2022, na cidade de Roma. Recorde-se que a cerimónia de passagem dos símbolos da Jornadas Mundiais da Juventude do Panamá para Portugal, prevista para 5 de abril, já tinha sido adiada para novembro.

Entretanto, em Lisboa, a organização da Jornada Mundial da Juventude já reagiu a esta decisão, que foi recebida com «naturalidade e confiança», partilhando com o «Santo Padre o apelo a que, no atual contexto e nos próximos tempos, o foco da atenção de todos esteja no cuidado dos mais vulneráveis, das famílias e de todos os que, pelos mais diversos motivos, sofrem com os efeitos da pandemia causada pela Covid-19».

Também o coordenador-geral do evento em Portugal, o bispo D. Américo Aguiar, está em «total sintonia com o sentimento do Santo Padre», salientando «o desejo e vontade de todos de que no verão de 2023 a Humanidade já possa novamente usufruir desta celebração».





À Rádio Renascença, o cardeal patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, referiu que se trata de uma «notícia previsível desde que a pandemia se manifestou com esta intensidade e sabendo nós que ainda vamos ter de esperar um tempo longo, mais do longo do que prevíamos, para que haja uma vacinação disponível e universal ». D. Manuel Clemente vincou ainda que a «absoluta prioridade da Igreja tem de passar agora por contribuir na resposta à pandemia e por ajudar as famílias atingida»

Recorde-se que, em janeiro de 2019, o Vaticano anunciou, durante as Jornadas Mundiais do Panamá, que Lisboa seria a capital escolhida para acolher a edição seguinte, agendada para 2022.

As Câmaras Municipais de Lisboa e Loures começaram logo a a trabalhar para este evento que se deveria realizar na zona do Parque das Nações, na fronteira entre os concelhos de Lisboa e Loures, originando uma concentração de mais de um milhão de pessoas, implicando a reconversão de 6 quilómetros de frente de rio.

 

Crédito de fotos: Vaticano news

 

 

 

 

Escreva aqui o seu comentário...