POLO DE SAÚDE DE CARCAVELOS VAI SER “CENTRO” DA VIDA COMUNITÁRIA

O novo Polo de Saúde de Carcavelos, concelho de Cascais vai ser construído nas antigas instalações da Legrand e deverá estar concluída em fevereiro de 2023. A obra está orçada em sete milhões de euros e vai acolher diversos serviços de saúde: centro de saúde, urgência, equipa de tratamento de comportamentos aditivos e dependências e um serviço de psiquiatria.

A construção do novo polo de saúde de Carcavelos, no concelho de Cascais, deverá estar concluída em fevereiro de 2023, anunciou ontem, 15 de dezembro, Carlos Carreiras, presidente da Câmara Municipal de Cascais, no dia em que foi lançada a “primeira pedra” do Pólo de Saúde de Carcavelos, nos terrenos da antiga fábrica da elétrica Legrand.

Segundo o autarca, este polo de saúde vai beneficiar 25 mil pessoas e terá quatro valências em termos de cuidados primários de saúde. Assim, conforme explica a autarquia, terá uma Unidade de Saúde Familiar (USF), um Serviço Permanente (SP, vulgarmente conhecido como urgência), uma Equipa de Tratamento de Comportamentos Aditivos e Dependências e um Serviço de Psiquiatria.

O custo da obra está estimado em sete milhões de euros e o projeto inclui também um parque de estacionamento com perto de 270 lugares e um espaço público adjacente ao polo de saúde.

Mais do que prestar cuidados de saúde à população, o novo Pólo Carcavelos pretende constituir um elemento estruturante do tecido urbano, com uma imagem bem identificada sob o ponto de vista arquitetónico e de impacto público positivo, e revitalizar os terrenos da antiga fábrica da Legrand, adianta a autarquia liderada por Carlos Carreiras.

É, por isso, que o presidente da Câmara de Cascais defende que «esta grande Unidade de Saúde vai estar associada a um novo espaço público aberto, dinâmico e inclusivo, destinado à população local, utentes e funcionários». Para tal vai ser criada uma Praça/Jardim de mediação entre o novo edifício e as habitações adjacentes existentes. Este constitui o elemento principal do projeto.






É nesta Praça/Jardim que se pretende fomentar o contacto entre utentes (USF, ET e SP), moradores locais, alunos/funcionários da Escola Secundária de Carcavelos e transeuntes ocasionais. «Aqui poder-se-ão realizar inúmeras atividades lúdicas já que foi pensado para incluir equipamentos infantis (para utentes e moradores locais), uma cafetaria, zonas cobertas multifuncionais e espaço verde», revela o autarca.

Na perspetiva do autarca, «o edifício deve refletir um novo paradigma de saúde do séc. XXI, no qual o Polo de Saúde é simultaneamente entendido como catalisador de relações interpessoais e centro da vida comunitária», pretendendo-se «que seja capaz de melhorar os estilos e a qualidade de vida da população, assim como ajudar a prevenir a doença (para além de curá-la), diminuir a solidão (sobretudo no que toca aos mais idosos) e ainda reduzir os custos operacionais relacionados com as necessidades afetivas dos utentes (como é o caso de pessoas que marcam consultas sem razão médica, apenas para terem um momento de companhia)».

Na perspetiva da autarquia liderada por Carlos Carreiras, a sustentabilidade será tida em conta neste projeto, uma vez que irá obedecer ao Plano de Ação para a Adaptação às Alterações Climáticas de Cascais. O centro de saúde terá produção autónoma de eletricidade através de painéis fotovoltaicos nas coberturas, assim como o aquecimento de água através de painéis solares térmicos.

O edifício contempla um total de 56 gabinetes médicos, distribuídos por 24 para a USF e SP, 18 gabinetes para a ET e 14 para o Serviço de Psiquiatria.

Nos terrenos da antiga Legrand está ainda em construção o Alagoa Office & Retail Center, «um complexo de edifícios destinados a escritórios, comércio, restauração e hotelaria», conforme descreve a empresa promotora no seu site. No início dos trabalhos, em 2019, alguns moradores protestaram o abate de árvores e as alterações de trânsito feitas naquele local.

Quer comentar a notícia que leu?