PORTUGUESES TEM MEDO DE DEIXAR FILHOS NA CRECHE

0

É um dilema pelo qual estão a passar muitas famílias neste momento. Levar, ou não, os filhos para a creche e pré-escolar? Um inquérito realizado pela fixando revela que apenas 24% dos pais se sentem seguros em deixar os filhos na creche.

Na hora de decidir, e tendo em conta os riscos de contágio, a maioria dos pais portugueses, 76%, ponderam se devem levar ou não os filhos para as creches, onde vão estar em contacto permanente com outras pessoas que não fazem parte do ambiente familiar controlado. Os pais, salientam algumas organizações de pais, «precisam de boas premissas por parte das creches e de saber o que é que os estabelecimentos de ensino estão a fazer para se adaptarem a esta nova realidade», informa a Direção Geral de Saúde que, entretanto, já impôs uma série de medidas a serem adotadas por essas instituições de ensino para «minimizarem os riscos de contágio».

A maioria dos pais, neste contexto de pandemia e «do novo normal», preferiu voltar hábitos antigos e a contratar amas a tempo inteiro ao invés de colocarem os filhos em infantários ou creches.

Entretanto, um inquérito realizado pela empresa de estudos de mercado Fixando concluiu que apenas 24% dos Portugueses se sentem seguros em deixar os filhos nestes locais que acreditam cumprirem todas as normas recomendadas pela Direção Geral de Saúde. No entanto, segundo revela esse estudo, a procura por babysitting cresceu, em comparação com o ano anterior, 377%, e uma das prioridades dos inquiridos é que este serviço possa ser feito a tempo inteiro.

Neste aumento de procura destaca-se a primeira quinzena de agosto, tradicionalmente época de férias, em que a procura se sobrepõe à oferta. No estudo realizado pela plataforma, estima-se que cada família pague em média 210 euros por filho nas creches, enquanto que o preço por hora para um serviço de babysitting ronda os 8 euros, variando se for um serviço mensal, que pode ir dos 160 aos 840 euros, dependendo do número de crianças, horas por dia e se se trata de uma ama particular ou com mais crianças.

Este receio dos pais já levou a Direção Geral de Saúde, pode-se ler no site da DGS, a tomar medidas de preparação para a abertura das creches e amas.  Assim, todas as creches têm de estar devidamente preparadas para a agirem perante casos suspeitos de COVID-19. Para tal a Direção-Geral da Saúde emitiu uma orientação, onde estão consignadas todas as medidas de preparação para a abertura destes estabelecimentos.





 

Escreva aqui o seu comentário...