«S. MIGUEL À LEÃO» DEFENDE COMUNIDADE DE ALVALADE COM GARRAS E DENTES

0

Amizade, humildade, compromisso, esforço e respeito são os principais valores do clube de Rugby de São Miguel, em Alvalade que, durante a pandemia, «arrumou» as chuteiras e as ombreiras para distribuir refeições aos carenciados e idosos desta freguesia de Lisboa.

A Covid-19 obrigou à suspensão das atividades desportivas, mas o Clube de Rugby de São Miguel, que se orgulha de ser um clube do bairro de Alvalade que se «estendeu» por Lisboa, não foi de «modas» e pôs os seus meios à disposição do combate à pandemia e, ainda hoje, cerca de 30 voluntários, entre atletas e familiares, treinadores e dirigentes, distribuem refeições em Alvalade, envolvendo-se «de alma e coração» com a comunidade para uma tarefa que consideram mais importante do que marcar ensaios.

Para este clube, que nasceu em 1970, dentro do Bairro de S. Miguel, na freguesia de Alvalade, «o desporto pode e deve ser visto como agregador em torno da identidade comunitária, interação social e consciência do espaço, geradora de padrões de relação entre a população local e a instituição», salienta Miguel Teixeira, presidente desta instituição desportiva, sublinhando: «Mais do que um clube, o Rugby de Alvalade é uma comunidade».

Apesar das chuteiras e ombreiras já terem regressado ao relvado deste clube de Alvalade, com o intuito de voltarem a marcar pontos nos diferentes competições em que participam, um facto é que os voluntários do S. Miguel continuam a fazer «placagens» na distribuição de refeições e de cabazes alimentares à população mais carenciada da freguesia e, a quem não se pode deslocar, os atletas fazem entregas ao domicilio, normalmente às pessoas mais idosos ou com dificuldades de mobilidade.

Com a «imagem» de um  bulldog no logotipo, porque estes cães são conhecidos pela forma apaixonada, «agressiva» e de nunca desistir, algo que está bem patente no seu «espírito», esta instituição desportiva, com pergaminhos conquistados no meio do rugby nacional, tem como principal objetivo (desde a origem) ser uma referência na formação e desenvolvimento do rugby português, com especial incidência nas camadas mais jovens.

Com 375 atletas federados de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 3 e os 70 anos, a que se somam cerca de 700 crianças do 1.º ciclo, provenientes das escolas das freguesias de Alvalade e Avenidas Novas, o Rugby São Miguel promove a pratica regular semanal da modalidade, contribuindo para a qualidade de vida, saúde, bem-estar e equilíbrio físico de todos os que apostam na prática desportiva.






Valores humanistas

Com 50 anos de existência e independentemente dos vários títulos regionais, nacionais e ibéricos conquistados, o São Miguel – afirma Miguel Teixeira – «preserva acima de tudo, os valores humanos pelos quais sempre se regeu e que são as bases da ‘construção’ da Escola de Rugby São Miguel», contribuindo para a formação de «homens e mulheres na escola da vida, incutindo-lhes, em estreita cooperação com os pais, valores que lhes vão servir para o resto da vida».

O Clube assume igualmente o seu papel de agente na Comunidade, assente nas parcerias com a Câmara de Lisboa, Junta de Freguesia de Alvalade, Universidade Lusófona, centros paroquiais, Refood, escolas do 1.º, 2.º ciclo e secundário, associações de âmbito social, comercial e empresarial, para além do comércio local.

E, tudo isto, porque o São Miguel é um clube dedicado aos bairros que vivem em seu redor, participando na vida de Alvalade, criando laços profundos entre a comunidade e a modalidade.

Do ponto de vista de Miguel Teixeira, a comunidade e os bairros sentem um apoio e participação do rugby nas suas «vidas» e, por isso, acolhem e aceitam a modalidade da ‘bola oval’ como a sua principal representação que pode levar longe a Marca Alvalade.

São Miguel à Leão

O grito “São Miguel à Leão” representa muito bem o espírito do clube… nunca desistir, lutar contra todos os problemas, apresentar uma vontade e uma raça que não sossega na placagem, na luta pelos metros, na disputa de cada alinhamento ou formação ordenada deste clube que está a mudar bastante a forma como o rugby deve ser difundido em Portugal.

«Transformámos, ao longo destas cinco décadas de existência, a atividade do clube numa atividade de cariz social. Pelo menos, sentimo-nos úteis, ao serviço da comunidade», sublinha o presidente Miguel Teixeira, lembrando que a ligação ao desporto, e à pratica do rugby, permite o início de «grandes amizades ou a aprendizagem de valores são experiências que muitos vivemos pela primeira vez num clube».

Mas, como defende o presidente deste clube, onde também existe um espaço para apoio aos estudos dos atletas, a «atual pujança» desta instituição também se deve aos pais dos atletas. «Temos uns pais maravilhosos, que sentem e vivem este clube. Quando temos grandes torneios, alguns com cerca de 3000 crianças, as mães ajudam na confeção dos alimentos e ‘vendem’ bolos e os pais auxiliam com as crianças», revela este dirigente desportivo, salientando também o papel dos patrocinadores, que sempre os tem apoiado e, inclusivamente, durante este período pandémico, aumentaram as suas contribuições, o que permitiu ao clube «ver as suas receitas aumentarem».

Miguel Teixeira salienta o facto de os pais dos atletas «serem ‘figuras’ sempre presentes, principalmente as mães que, enquanto os filhos treinam, podem praticar Pilatos nas instalações.

Sempre com um «olhar muito local», Miguel Teixeira promete continuar a «levar» a Marca Alvalade a todos os «cantos» de Portugal, transmitindo os valores sociais e de solidariedade que o rugby «transporte no seu ADN».

O Clube

O clube desenvolve a sua atividade em dois locais do bairro de Alvalade procurando desta forma dar uma resposta mais abrangente e próxima dos atletas.  Um dos campos é no parque de jogos 1º de Maio da Fundação INATEL e resulta do Protocolo assinado entre a Fundação INATEL e o Clube de Rugby São Miguel, que em conjunto desenvolvem a escola de rugby São Miguel INATEL. O segundo campo, e sede oficial do clube é na Av. do Brasil no Complexo desportivo de São João de Brito (Bulldogs Rugby Field).

Com as equipas masculina e feminina a militar na Divisão de Honra, todas equipas de competição e de formação do São Miguel  participam em todos as competições nacionais de rugby (convívios de formação, campeonatos nacionais, taça de Portugal e nos circuitos nacionais de beach rugby, Sevens e touch rugby) e regularmente em competições internacionais em todos os escalões (Sub 6, Sub 8, Sub 10, Sub 12, Sub 14, Sub 16, Sub 18, Feminino, Séniores e Veteranos).

Com uma equipa técnica constituída por 2 treinadores, 1 preparador físico, 1 fisioterapeuta, 1 médico de medicina desportiva, 1 nutricionista e 1 diretor equipa por escalão. Ambos os escalões são coordenados por Diretores desportivos. Apesar das suas instalações terem sido requalificadas há pouco tempo, gostaria de ter um espaço maior para a clínica e para o ginásio, de forma a responder cabalmente às atuais necessidades, tendo apresentado um projeto apoiado pela Junta de Freguesia de Alvalade, para iluminação do relvado e alcatroamento dos acessos e recuperação das bancadas.

Descarregue e leia a edição impressa OLHARES DE LISBOA | OUTUBRO – Especial Alvalade

 

 

Escreva aqui o seu comentário...