SITE PROMOVE COMERCIANTES DE ALGÉS, LINDA-A-VELHA, CRUZ QUEBRADA E DAFUNDO

0

Dar a conhecer, divulgar e promover a oferta disponível no comércio local, são as «linhas mestre» do site da União de Freguesias de Algés, Linda-a-Velha, e Cruz Quebrada / Dafundo, que já se encontra on-line.

É tempo de apoiar o comércio local e, por isso, a União de Freguesias de Algés, Linda-a-Velha, Cruz Quebrada / Dafundo  criou um Diretório de Comércio local, on-line, onde se pode consultar os estabelecimentos em funcionamento e a respectiva localização, bem como horários e serviços que prestam.

Este Diretório, cujas inscrições podem ser realizadas pelos comerciantes junto dos serviços da União de Freguesias, pretende apoiar as cerca de 1700 empresas e estabelecimentos de comércio local existentes em Algés, Linda-a-Velha, Dafundo e Cruz Quebrada e, segundo o presidente da União de Freguesias, Rui Teixeira, vai permitir a presença gratuita (dos primeiros 60 empresários) ou a custos simbólicos (com valores que rondam os 30 euros) de todos os comerciantes, empresários e prestadores de serviços da União de Freguesias. De salientar, que a União de Freguesias negociou com a empresa informática um «cabaz», que permite a inscrição gratuita dos primeiros 60 comerciantes e uma «renda» simbólica de 30 euros para os restantes.

«Faça as suas compras localmente»

«Faça as suas compras no comércio local da União de Freguesias» é, de certo modo, o repto lançado por Rui Teixeira aos residentes da União de Freguesias, lembrando que este é uma forma de apoiar o comércio e as empresas locais, a reforçarem a sua presença online.

Desde os minimercados e mercearias, pronto-a-vestir ou ourivesarias, passando pelas farmácias, clínicas de saúde, ópticas, até cabeleireiros, barbeiros e floristas, sem esquecer os bem estar animal, são algumas das áreas que estão contempladas neste serviço online da União de Freguesias, presidida por Rui Teixeira, que, através da plataforma digital, promove as actividades e as áreas de negócio existentes na União de Freguesias, tentando recuperar os «tempos em que, em Algés, havia uma grande oferta do pequeno comércio». Na altura, Algés era uma referência: «muita gente, mesmo os de Lisboa, vinham aqui, de propósito, fazer compras».


O site www.uniaopertodesi.pt já está on-line

Já disponível a todos os empresários e comerciantes que a queiram integrar, para tal basta contactar os serviços da União de Freguesia, esta plataforma da União de Freguesias constituí mais uma ferramenta que o comércio local de Algés, Linda-a-Velha, Dafundo e Cruz Quebrada tem disponível, e que, deste modo, permite aos empresários chegarem aos seus clientes e divulgarem os seus produtos.

Aliás, na perspetiva da política que tem vindo a ser executada pelo autarquia para dinamizar o comércio local, que passa por ações de formação para comerciantes, em áreas tão diversas como a informática, o marketing e a higiene e segurança alimentar, a União de Freguesias criou este diretório que, essencialmente, pretende ser «uma campanha de apelo e incentivo às compras no comércio tradicional».

Concebido por uma empresa privada, e gerido pela União de Freguesias, o diretório, que implicou um investimento de aproximadamente dois mil euros, está «em permanente atualização e otimização» e deve constituir «uma montra dos estabelecimentos e serviços locais das quatro freguesias que estiveram na base da criação da União de Freguesias», afirma Rui Teixeira.

Este projeto, lembra o autarca, estava a «ser desenvolvido quando foi decretado o estado de emergência e, perante a necessidade de a freguesia canalizar os seus esforços para ações mais imediatas de apoio à população, sofreu um pequeno atraso».

De facto, durante esse período, o próprio presidente da União de Freguesias, Rui Teixeira,que salientou o papel da Câmara de Oeiras e do presidente Isaltino Morais na tomada de medidas de apoio às famílias mais carenciadas, sentiu a necessidade de auxiliar na confecção das três mil refeições que foram «cozinhadas pela autarquia, com o apoio da Congregação da Sagrada Família», e ajudar «nos cerca de 200 apoios domiciliário» que surgiram.

Mas, é conveniente não esquecer que, por outro lado, esta iniciativa permitiu a elaboração de «um diagnóstico das necessidades destes empresários e comerciantes», tendo em vista estabelecer «um plano de ação que possa dar resposta às suas dificuldades», originadas pelo Covid-19, adianta Rui Teixeira que, entretanto, está a desenvolver um conjunto de ações que visam levar os munícipes a «Comprarem cá, na  União de Freguesias, porque cá compra, cá fica».

Escreva aqui o seu comentário...