TEJO ATLÂNTICO COMEMORA DIA NACIONAL DA ÁGUA

0

A água é um bem escasso e precioso, que não deve ser desperdiçado. Seguindo esta lógica, da chamada economia circular, a Águas do Tejo Atlântico «trabalha todos os dias por forma a caminhar para a descarbonização e a utilização adequada da água, um recurso finito», informa a organização.

Durante o ano de 2020, «as nossas 103 Fábricas de Água (ETAR) receberam 194 Milhões de m3 de águas residuais que foram tratadas e descarregadas nas linhas de água e no mar com a qualidade que permite preservar os ecossistemas», acrescenta a Águas do Tejo Atlântico.

Segundo a ATA, grande parte desse volume de água, terá aptidão para utilização em lavagens de rua, rega de espaços verdes, sistemas de climatização e indústria, poupando água potável para outros fins.

O Dia Nacional da Água celebra-se, em Portugal a 1 de outubro e é um marco sobre a importância deste recurso, desafiando a sociedade a adotar melhores comportamentos para um uso mais eficiente da água e o seu valor em todas as suas dimensões – sociais, ambiental e económica.

Apesar da Organização das Nações Unidas ter implementado as comemorações do Dia Mundial da Água, a 22 de março, Portugal celebra desde 1983 o dia Nacional da Água a 1 de outubro, data que coincide com o início do ciclo hidrológico (início em outubro por ser a época em que as reservas hídricas atingem o seu mínimo e quando começa o período das chuvas).

Administração da ATA com nova composição

A Tejo Atlântico entra num novo ciclo com nova composição do conselho de administração (CA) e comissão executiva (CE).

Alexandra Serra assume a presidência do CA e CE, Hugo Pereira mantem a vice-presidência e Ana Cisa assume o cargo de vogal executiva, não havendo alterações na composição dos administradores não-executivos.

De acordo com a ATA, Alexandra Serra, «é uma reconhecida gestora com mais de 25 anos de experiência no sector da água e saneamento».

É mestre em engenharia civil, pelo Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa, tendo começado a sua atividade profissional em 1989. Desde 2002 é quadro do Grupo Águas de Portugal (AdP), onde despenhou as funções de administradora executiva da empresa AdP-Serviços, da Águas de Portugal Internacional e foi presidente da AQUASIS.

Antes de ingressar neste novo desafio, assumia a presidência da AdP-Valor.

A nível associativo, foi presidente da APRH, comissária de Portugal no 5º Fórum Mundial da Água e presidiu a PPA- Parceria Portuguesa para a Água.

Ana Cisa, licenciada em direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa com várias pós-graduações. Trabalha no setor da água desde 2002 e, desde 2008, no grupo Águas de Portugal, tendo desempenhado funções na administração central em períodos intermédios. No último ano integrou a equipa da Tejo Atlântico como de assessora da administração, estando encarregue, entre outros dossiers, do Projeto de Águas Residuais Industriais.

Como eixo de prioridades, este conselho de administração destaca «a continuação de prestação de um serviço de elevada qualidade aos clientes e parceiros deste serviço essencial para o bem-estar da população, para o ambiente e para a saúde pública, o aumento da eficiência e resiliência do sistema de tratamento e valorização da água, o alinhamento estratégico com a economia circular por forma contribuir para uma sociedade mais verde e a aposta na inovação que além manutenção e operação abranja as áreas de suporte e os processos transversais».

 

Quer comentar a notícia que leu?