«UM LIVRO PARA ANGOLA» É UM SIMBOLO DE ESPERANÇA NUM MUNDO MELHOR QUE PARTE DE ODVELAS

O Presidente Marcelo Rebelo de Sousa presidiu no dia 2 de março, no Mosteiro de São Dinis e São Bernardo em Odivelas, à cerimónia de apresentação pública da iniciativa “Um livro para Angola”, promovida pelo Lions Clubs International e com o apoio da Câmara Municipal de Odivelas.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que quarta-feira, esteve no Mosteiro de Odivelas, na apresentação pública da iniciativa de cariz solidário “Um Livro para Angola”, enalteceu esta iniciativa que visou apoiar a Associação dos Jovens Ambientalistas do Moxico, através da angariação de cerca de livros para a Biblioteca Provincial da cidade de Luena, Moxico em Angola.

Este evento, promovido pelo Lions Clubs International, com a colaboração da Câmara Municipal de Odivelas, teve como objetivo a doação de 40 mil livros à Biblioteca Provincial da cidade de Luena, apoiando, assim, a Associação dos Jovens Ambientalistas do Moxico, em Angola.

Marcelo Rebelo de Sousa elogiou a iniciativa e saudou Odivelas, município anfitrião, salientando que este «é um encontro entre o passado, cheio de história, rico em património cultural, e o futuro, num município jovem, portador daquilo que é fundamental para o futuro dos munícipes», sublinhando que este encontro em Odivelas, num Mosteiro histórico como é o de Odivelas, vai contribuir para «o renascer da esperança num futuro melhor».

O Chefe de Estado lembrou, também, que este encontro simboliza a paz, a solidariedade e «a esperança que ultrapassa as barreiras, que supera os ódios e que faz construir o futuro», realçando que é a «esperança que permite pensar num mundo melhor».

Após salientar as ótimas relações de solidariedade e de fraternidade existente entre Angola e Portugal, Marcelo lembrou que a «solidariedade é possível em todas as assimetrias e é compatível com outras solidariedades».





Todavia, para o Presidente da República, o encontro de Odivelas é «um sinal de paz e de esperança» a pensa nos jovens do Moxico, porque o livro, a educação, a formação e a cultura são símbolos de esperança, que nos permitem «sonhar com um mundo melhor».

Já o presidente da Câmara Municipal de Odivelas, Hugo Martins, apos felicitar todos os intervenientes que tornaram possível este evento com «tão forte cariz solidário e humanista», realçou o facto de este encontro se ter realizado «neste local tão carregado de História, onde El-Rei D. Dinis escolheu repousar para a eternidade», lembrando que o rei D. Dinis foi poeta, trovador e o fundador da primeira universidade portuguesa e que «mudou o rumo da nossa história».

O autarca sublinhou, ainda, a essência do trabalho de voluntariado, de dedicação e de altruísmo desenvolvido localmente pelo Lions Clube de Odivelas, em estreita parceria com o município, designadamente durante o período pandémico.

Por seu turno, o embaixador angolano, Carlos Fonseca, que também realçou a atividade cultural do rei D. Dinis, que além «de ter arado a terra também “arou” a cultura», salientou que esta doação vai permitir um maior acesso dos jovens do Moxico à cultura e estreitar, ainda mais, os laços de amizade, solidariedade e fraternidade entre os povos angolano e português.

A Governadora do Distrito 115 Centro Sul – Lions Clubs International, Sofia Félix, revelou que a recolha destes 40 mil livros, alguns deles em braile, foi realizada por todos os Lions Clube de Portugal Continental e ilhas.

Na perspetiva de Sofia Félix, que recordou o papel dos Lions em ações de solidariedade internacional e na promoção da paz, «os livros, para além de darem prazer a quem os lê, constituem uma ferramenta de combate ao obscurantismo», sublinhando que estes livros vão para a cidade, onde há cerca de 20 anos «foi celebrado o acordo de paz que pôs termo à guerra civil em Angola».

Neste encontro estiveram também presentes o presidente do Lions Clube de Odivelas, Adbul Mahomed, elementos do executivo municipal, bem como os presidentes das Juntas de Freguesia locais.

Quer comentar a notícia que leu?