A Câmara de Lisboa vai apoiar crianças doentes nas suas casas, anunciou o vereador Manuel Grilo, durante uma visita à Fundação Gil.No dia 19 de novembro, o vereador do pelouro da Educação e Direitos Sociais, Manuel Grilo, visitou a Fundação Gil para conhecer melhor o trabalho realizado pelo projeto de Cuidados Paliativos Pediátricos Domiciliários, realizado em parceria com a Fundação Gil e o Serviço Nacional de Saúde.

Este projeto responde aos cuidados necessários para crianças com doença crónica ou terminal e será apresentado pelos técnicos responsáveis. O vereador Manuel Grilo, eleito pelo Bloco de Esquerda, referiu que a edilidade apoia com 50 mil euros um programa único de cuidados paliativos pediátricos domiciliários, em articulação e parceria com SNS (Hospital de Santa Maria e Hospital Dona Estefânia). Os Cuidados de saúde são feitos por enfermeiros do SNS e o apoio e acompanhamento psicossocial feito pela Fundação do Gil.

Segundo o gabinete de Manuel Grilo, a implementação é feita em articulação e parceria com SNS (H. Sta. Maria e H. D. Estefânia), pelo que conta com enfermeiros do SNS e acompanhamento psicossocial realizado pela Fundação Gil.

Os Cuidados Paliativos Pediátricos Domiciliários não fazem parte da rede nacional de cuidados paliativos, o que reforça a relevância deste projeto, num momento em que se aguarda há 3 anos pela inclusão destes cuidados na rede nacional. Com este protocolo da CML, garantimos que os cuidados paliativos pediátricos ao domicílio em Lisboa são assegurados, com a garantia da segurança e qualidade do SNS.

Projetos educativos

Por outro lado, uma nota do gabinete de Manuel Grilo informa que terminou na passada segunda-feira, 18 de novembro, o prazo para submissão de candidaturas das escolas à 1ª edição do Concurso Fazer Acontecer da Câmara Municipal de Lisboa.

Foram submetidos ao «Fazer Acontecer» mais de 200 projetos educativos, numa diversidade de áreas temáticas e com diferentes abordagens pedagógicas. Abrangendo todos os agrupamentos de escolas e escolas não agrupadas da cidade, as centenas de projetos demonstram o enorme dinamismo das comunidades educativas. Foram ainda submetidos vários projetos inter-agrupamentos, num esforço inovador de partilha de experiências e práticas educativas entre escolas.

«O Fazer Acontecer» é um novo concurso para promoção do sucesso educativo do 1º ao 12º ano com escalões de financiamento entre os 1.000€ e os 50.000€. Os projetos foram submetidos pelos professores das escolas públicas da cidade de Lisboa, com o envolvimento dos alunos, das associações e pais e das juntas de freguesias. O pelouro da Educação da Câmara Municipal de Lisboa inicia assim um novo caminho de promoção do sucesso educativo, favorecendo a conclusão da escolaridade obrigatória, contribuindo para a igualdade de oportunidades e promovendo as dinâmicas participativas dos alunos e das comunidades escolares.

O financiamento global para esta 1ª edição do Fazer Acontecer (2019/2020) é de 750.000€. Os projetos serão agora validados pelas direções dos Agrupamentos de escola e avaliados por um júri que indicará os projetos financiados dentro de dois meses.

Quer comentar?

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.