Em Linda-a-Velha | GAT DO BAIRRO 25 DE ABRIL ESTREITA LIGAÇÃO ENTRE CÂMARA E RESIDENTES

0

Desde 6ª feira, Linda-a-Velha dispõem de um Gabinete Técnico Local no Bairro 25 de Abril para acompanhar todo o processo de requalificação deste bairro que, também desde ontem, tem uma Sala Polivalente, destinada aos utentes do Centro de Dia da Associação.

O bairro 25 de Abril, em Linda-a-Velha, esta a ser requalificado. Isaltino Morais, presidente da Câmara de Oeiras, acompanhado pelo presidente da União de Freguesias de Algés, Linda-a-Velha, Dafundo e Cruz Quebrada, Rui Teixeira, inaugurou na sexta-feira dois equipamentos que marcam o inicio da recuperação e requalificação do Bairro: a instalação de um Gabinete Técnico Local e a abertura da nova sala polivalente destinada à atividade física dos utentes do Centro de Dia da Associação do Bairro 25 de Abril

Para o presidente da Câmara de Oeiras, estes dois novos equipamentos enquadram-se nas políticas que têm sido desenvolvidas pela autarquia, ao longo dos últimos tempos, «de proximidade com as populações, em diálogo permanente com os moradores». Aliás, como referem os residentes, esta tem sido a «marca» de Isaltino Morais desde que, nos anos 80 do século XX, conseguiu dinamizar por completo o concelho levando várias empresas a instalarem-se na zona, criando emprego, atraindo jovens e transformando o concelho numa área segura.

Na cerimónia de inauguração da nova Sala Polivalente do Centro de Dia, o presidente da Associação de Moradores do Bairro 25 de Abril, Roberto Olarinho, reconheceu o papel de Isaltino Morais na desburocratização de vários processos que, de outra forma, poderiam ficar «presos» nos meandros da burocracia.

Na perspetiva de Roberto Olarinho, «o bairro 25 de Abril estava a precisar de uma intervenção profunda, que começou a acontecer», devido ao apoio da Câmara de Oeiras ao instalar um Gabinete Técnico, sublinhando, ainda, que a «inauguração da Sala Polivalente «começou a concretizar um sonho que já saiu do papel, esperando-se que outros venham a acontecer, porque a comunidade precisa».

Por seu turno, Isaltino Morais, após anunciar que estão em fase de projeto de reformulação um polidesportivo e um equipamento social com as valências de unidade residencial para idosos, centro de dia e creche, salientou: «em determinadas comunidades a existência de equipamentos, à semelhança do que o Centro do Alto da Loba, podem mudar a vida de algumas pessoas, potenciando talentos que existem na comunidade, seja nas artes, na dança e na música».





A Sala Polivalente, destinada à atividade física dos utentes do Centro de Dia da Associação do Bairro 25 de Abril, nasceu a partir da requalificação de uma sala localizada no piso 0 de um edifício habitacional, na Rua Marconi, nº 13.

A reformulação deste espaço e a sua adaptação à prática de atividades físicas implicou um investimento municipal de 90.078 euros. As alterações realizadas conferem à sala uma contemporaneidade arquitetónica, atribuindo conforto e luminosidade ao espaço, o qual inclui uma zona de entrada, uma sala para a prática das atividades físicas, um gabinete, instalações sanitárias (m/f), vestiários (m/f) e uma área de arrumos. Todos os espaços foram pensados e adaptados ao uso de pessoas com mobilidade condicionada.

Orgulho em morar no bairro

O autarca salientou, por outro lado, que o trabalho de «filigrana», a ser realizado pelo Gabinete Técnico Local, vai melhorar «o conforto e o orgulho dos moradores em viverem no Bairro» e, ao mesmo tempo, intensificar «o diálogo com os moradores»

Segundo o autarca, este Gabinete vai permitir um «acompanhamento de proximidade de todo o processo de requalificação do Bairro que, em articulação com a Associação de Moradores do Bairro e em concordância com a política municipal de recuperação do património edificado e requalificação do espaço público, está a ser levado a cabo», com o objetivo de acompanhar localmente as ações a desenvolver, facilitando o diálogo e a interação entre a população e o Município, bem como o entendimento das reais necessidades dos moradores.

No Bairro 25 de Abril, a Câmara tem três eixos de intervenção: equipamentos; infraestruturas e os espaços verdes; e parque habitacional.

Em carteira, revela a autarquia, estão outras intervenções. Relativamente às infraestruturas e espaços verdes, as estratégias a adotar procurarão intervir no tecido urbano de forma integrada, considerando-o como um todo, coordenando a intervenção com base na necessidade de atingir soluções coerentes entre os aspetos funcionais, económicos, ambientais e socioculturais.

No âmbito do parque habitacional, segundo a edilidade, pretende-se preservar a imagem tipológica definida no projeto inicial do Bairro, tendo em conta o processo de desenvolvimento do tecido, as características de apropriação do espaço e as suas atuais necessidades, que pressupõe a adoção de abordagens flexíveis e adaptáveis, ao contexto e a uma realidade já consolidada.

O projeto para o Bairro 25 de Abril começou a ser desenvolvido no final de 1974 através de uma Operação S.A.A.L (Serviço de Apoio Ambulatório Local), lançada pelo F.F.H (Fundo de Fomento da Habitação), com o objetivo de realojar os moradores de diversos núcleos de barracas e casas degradadas de Algés e Linda-a-Velha.

Escreva aqui o seu comentário...