MOEDAS RECEBE PRIMEIRA MULHER PRESIDENTE DA GRÉCIA

Katerina Sakellaropoulou, Presidente da Grécia, está em visita de Estado ao nosso país e foi recebida esta manhã, 29 de março, nos Paços do Concelho de Lisboa, pelo presidente da Câmara Municipal, Carlos Moedas.

Carlos Moedas, presidente da Camara Municipal de Lisboa, recebeu hoje, nos Paços do Concelho, Katerina Sakellaropoulou, a primeira mulher a ser eleita Presidente da República Helénica, lembrando que, «no presente, as relações entre a República Helénica e a República Portuguesa não poderiam ser melhores. E não poderiam ser melhores em todos os domínios».

O autarca, após referir que a Grécia é «o berço da democracia começou por saudar relembrou o «percurso notável no direito e na justiça do seu país, particularmente no topo das instituições judiciais gregas».

Portugal e Grécia, salientou Carlos Moedas, «partilham uma história milenar em que o mar é um elemento central e definidor». Uma ligação que, na perspetiva do autarca lisboeta, acontece também entre as cidades capitais de Lisboa e Atenas, «com relações bilaterais e multilaterais especiais, que queremos aprofundar no futuro» afirmou.

O presidente da Câmara de Lisboa referiu que «a Grécia e Portugal têm, em conjunto com outros países europeus, trabalhado na busca de soluções económicas, financeiras e sociais para responder aos efeitos que já se sentem», por exemplo, no setor da energia.

Com Carlos Moedas ao seu lado, a Presidente da Grécia afirmou que o encontro que tiveram, «nestes momentos difíceis para a Europa», constituiu uma oportunidade para mais uma vez condenarem a invasão russa da Ucrânia e expressarem «pleno apoio ao povo ucraniano».





«O respeito pela integridade territorial e pela soberania de um país e o respeito pelo direito internacional são para a Grécia valores inegociáveis», frisou, apelando ao fim imediato da «agressão contra civis na Ucrânia».

Durante a cerimónia, Carlos Moedas entregou a Chave de Honra da Cidade de Lisboa a Katerina Sakellaropoulou, de acordo com uma deliberação tomada por unanimidade na reunião da Câmara Municipal de 16 de março. A Chave de Honra da Cidade de Lisboa é um galardão municipal destinado a distinguir personalidades, instituições ou organizações nacionais ou estrangeiras que, pelo seu prestígio, cargo, ação ou relacionamento com Lisboa, sejam considerados dignos dessa distinção.

Depois de passear de elétrico pela capital com a presidente grega, Katerina Sakellaropoulou, e com o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, fez algumas declarações aos jornalistas, tanto sobre o novo Governo, como relativamente à evolução do turismo no país, à guerra na Ucrânia e até ao apuramento para o Mundial de futebol.

O Presidente da República começou por desejar sucesso a todos os que estão envolvidos no novo ciclo governativo, «porque se o parlamento tiver sucesso e o Governo tiver sucesso é o sucesso de Portugal».

«E nós bem precisamos, depois de dois anos de pandemia e depois de uma guerra que desejamos que acabe rapidamente, que tenhamos sucesso», disse ainda, ao esperar que Portugal «consiga recuperar – como toda a Europa e o mundo – dos efeitos da pandemia, dos efeitos da guerra na Ucrânia».

Ao observar a quantidade de pessoas que encontrou por Lisboa, o chefe de Estado mostrou-se “surpreendido com o turismo”, salientando que considera “impressionante o que mudou em quinze dias, três semanas. Isso é bom sinal”.

Relativamente à Ucrânia, o Presidente da República assinalou que tanto Portugal como a Grécia condenaram a invasão da Federação Russa, no quadro da União Europeia e da NATO, e que ambos estão a acolher refugiados ucranianos.

Segundo Marcelo Rebelo de Sousa, os dois países têm “estado juntos, não só nas sanções, mas também na análise das soluções para os efeitos imediatos da guerra”.

 

Quer comentar a notícia que leu?