OEIRAS DÁ PRENDA DE ANIVERSÁRIO À POLÍCIA MUNICIPAL

0

A Polícia Municipal de Oeiras tem, desde ontem, 29 de janeiro, 100 agentes, com a incorporação de 38 agentes estagiários. No dia em que assinalaram o seu 18º aniversário, também lhes foi prometido o reforço de meios. Ontem, 29 de janeiro, o presidente da Câmara Municipal de Oeiras, Isaltino Morais, na companhia do comandante da Polícia Municipal, intendente Jerónimo Torrado, recebeu os 38 novos agentes estagiários desta instituição de segurança municipal, tendo, durante a cerimónia, apresentado o novo reboque, que permitirá o reforço operacional e prometido a entrega de quatro novas viaturas de patrulhamento.

Este reforço de polícias municipais, um dos compromissos político assumido pelo atual Executivo Municipal no início do mandato, vem contribuir para o aumento da segurança no concelho. Para o presidente da autarquia, Isaltino Morais, «o balanço da existência desta força de segurança municipal é altamente positivo, tendo a sua atuação contribuído em muito para que Oeiras apresente, há vários anos, um dos mais baixos índices de criminalidade da Área Metropolitana de Lisboa».

A mesma opinião é partilhada pelo intendente Jerónimo Torrado que salientou «a experiência e a maturidade da Polícia Municipal de Oeiras que permitiu uma evolução técnica e profissional que a transformou num corpo policial de excelência»

A celebração do 18º aniversário da Polícia Municipal iniciou-se, como manda a «praxe» com a realização de formatura e imposição de insígnias e foi presidida por Isaltino Morais, presidente da Câmara Municipal de Oeiras, que entregou louvores aos agentes Tânia Carmo e Luís Oliveira que «se lançaram à água» para resgatar um corpo «que apareceu a boiar na praia de Oeiras».

Durante a sessão comemorativa desta entidade, sediada na União de Freguesias de Carnaxide e Queijas, presidida por Inigo Pereira, o presidente da Câmara Municipal de Oeiras fez questão de reforçar a ideia que «a Polícia de Segurança Pública e a Polícia Municipal são duas entidades que se completam» e que, dentro do espírito de cooperação existente, tem contribuído «para os bons indicadores de segurança do concelho», lembrando que a PSP teve um papel «fundamental na criação do atual perfil do concelho de Oeiras».

Aliás, é o entendimento do papel de complementaridade dessas instituições de segurança, que leva Isaltino Morais a afirmar que, dadas as dificuldades atuais da PSP em equipamento, «o município de Oeiras assumiu responsabilidades de fornecer os meios materiais necessários à atividade da PSP», lembrando que, em 2019, a autarquia entregou «8 carros de patrulhamento, uma viatura de comando e outra de transporte de policias e vário equipamento informático». Mas, o contributo da autarquia não terminou no ano que findou e, este ano, a PSP vai receber mais quatro novos carros patrulhas.


Contudo, e como a evolução da Polícia Municipal «depende muito da vontade política dos executivos municipais», Isaltino Morais «deixou no ar» a necessidade das forças de segurança, tanto as nacionais como as municipais, serem mais bem pagas, contrariando a «politica de baixos salários praticados no país.»

O autarca, após anunciar novos investimentos em equipamentos (motos, carros patrulha e um reboque) para a Polícia Municipal, garantiu que existe «um bom relacionamento entre as duas forças de segurança».

Todavia, apesar de louvar o entendimento existente entre as instituições, Isaltino Morais lamenta que o corpo da PSP, em Oeiras, tenha cerca de 400 policias, quando deveria ter 550 agentes.

Refira-se que Oeiras fez parte do primeiro pacote de municípios portugueses que criaram Polícia Municipal, tendo iniciado a sua atividade em 2001.

Descarregue e leia no seu computador ou equipamento móvel as edições impressas Jornal Olhares de Carnaxide e Queijas | Dezembro | Área Metropolitana | OLHARES-DE-LISBOA-Nº-10