OEIRAS PAGA A 3 DIAS E FINANCIA CULTURA E APOIA RALLY DE CARROS ELÉCTRICOS EM PORTUGAL

0

Oeiras é considerado um dos municípios mais ricos do país, a comprova-lo estão os prazos de pagamento aos fornecedores, o que permite investir em diversos sectores, que vão da cultura à primeira competição de carros elétricos em Portugal.

O desafogo financeiro da Câmara de Oeiras, demonstrado pelos 3 dias de prazo médio de pagamentos a fornecedores, permite a aposta em eventos culturais e desportivos. São os casos da instalação “O Nome da Rosa”, premiada nos Estados Unidos, que chega a Oeiras, à Fábrica da Pólvora de Barcarena, no próximo dia 12, e o apoio financeiro concedido pelo município à primeira competição de carros elétricos em Portugal, a realizar-se nos dias 3, 4 e 5 de outubro, com partida e chegada no estacionamento da Adega do Palácio Marquês de Pombal.

Mas, tudo isto só é possível devido ao facto de o município de Oeiras estar a viver uma situação económica bastante desafogada que lhe permite estar entre os três primeiros municípios que mais contribuem para o PIB nacional. Esta situação é confirmada pelos seus prazos de pagamento a fornecedores que, em 2019, foi de três dias, a contar desde o momento em que a fatura enviada pelo fornecedor chega à Câmara Municipal.

Este resultado, que premeia o trabalho de todos os serviços municipais envolvidos, reflete quer uma lógica de celeridade nos pagamentos, com vista a fazer entrar moeda na economia local, quer também um importante princípio de rigor na gestão dos processos administrativos.

De facto, nos últimos anos a Câmara Municipal de Oeiras tem encurtado substancialmente os prazos de pagamento: em 2016 este prazo era de 41 dias, tendo sido reduzido para 32 dias em 2017, para 6 dias em 2018 e para apenas 3 dias em 2019.

«O Nome da Rosa» em Barcarena





No fundo, a situação «financeira invejável de Oeiras» permite o financiamento da instalação «O NOME DA ROSA – A fire art sculpture – sun mechanical & Bio generator», que foi apresentada no festival Burning Man, no deserto de Black Rock City (estado americano do Nevada), e que agora chega a Oeiras.

Desta forma, nos dias 12 e 13 de setembro, vai realizar-se o evento “Rosa Pólvora”, no Auditório ao Ar Livre do Pátio do Enxugo, na Fábrica da Pólvora de Barcarena, que apresenta esta criação da autoria do dramaturgo Nuno Paulino e da sua companhia de teatro de rua, Artelier?, uma instalação de caráter espetacular, cinética e interativa, que cruza arte e ciência.

Esta escultura mecânica, que foi premiada nos Estados Unidos com o Burning Man – Honoraria Grant 2019, que distingue as principais criações do maior evento de arte a céu aberto e de cultura do mundo, estará em exibição nos dois dias, entre as 14H30 e as 18H30, havendo visitas guiadas e diversas oficinas de exploração ao universo da obra e simultaneamente aliadas à temática do espaço que acolhe o evento.

Nas noites de 12 e 13 de setembro, às 21H30, terá lugar o momento alto deste evento, que será a performance “Rosa Pólvora – A burning man fire sculpture”, de Vídeo Arte e efeitos especiais, que vai mostrar como a peça foi exibida no deserto americano.

Oeiras apoia rally de carros eléctricos

O desporto também não é esquecido pela autarquia oeirense que atribuiu 50 mil euros para apoio logístico à organização da 3.ª edição do Oeiras Eco Rally Portugal, a primeira prova organizada exclusivamente com carros elétricos em Portugal.

A competição, organizada pelo Classic Clube de Portugal, com o apoio da Câmara Municipal de Oeiras, realiza-se nos dias 3, 4 e 5 de outubro, com partida e chegada no estacionamento da Adega do Palácio Marquês de Pombal.

Não sendo uma prova de velocidade, mas inserida no campeonato de regularidade, este «rally» vai de encontro aos valores de mobilidade sustentada, bem como das boas práticas no que respeita ao cumprimento das regras de segurança para circulação em estrada, defendidos pela Câmara de Oeiras.

Escreva aqui o seu comentário...