PALAVRAS DE ABRIL PARA LER NO CHÃO DE ABRIL

A Revolução dos Cravos é um daqueles momentos definidores da nossa história que fica gravado na memória de quem o viveu. No ano em que a democracia em Portugal atingiu a longevidade do regime do Estado Novo, 48 anos, a EGEAC vai homenagear a data convidando personalidades da Cultura, oriundas de diferentes áreas de expressão, para contarem como foi o “seu” 25 de Abril. Por seu turno, Carlos Moedas vai descerrar placas nos “Lugares de Abril”.

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas, vai estar no domingo, dia 24 de Abril, nas cerimónias dos denominados “Lugares de Abril” que procuram assinalar os principais locais que traçam um percurso do dia que, há 48 anos, mudou o curso da História em Portugal.

Assim, às 18.30 horas, Carlos Moedas, seguindo as «pegadas» do seu antecessor, Fernando Medina, vai estar na Rua Capelo, junto aos antigos estúdios da Rádio Renascença, que difundiu as senhas que deram o sinal para a saída das tropas dos quartéis na madrugada da Revolução dos Cravos. Daí, o autarca segue para o Teatro São Luiz, onde será descerrada uma placa que celebra os artistas censurados

Em 2019, a Câmara Municipal de Lisboa, então presidida por Fernando Medina, assinalou os locais onde a liberdade deu os primeiros passos e a democracia começou a ser forjada, criando um roteiro por oito lugares que testemunharam há 48 anos os principais acontecimentos revolucionários (roteiro que será progressivamente alargado a 25 lugares até 2024, ano em que se comemorarão os 50 anos sobre a gesta libertadora).

No primeiro desses locais, na Rua do Arsenal junto ao Largo do Corpo Santo, foi inaugurada uma placa no pavimento assinalando um episódio revolucionário que ali sucedeu. Já no dia 25 de 2019, foi inaugurada a placa que recorda um dos mais dramáticos e decisivos momentos da Revolução, protagonizado pelo capitão Salgueiro Maia, na esquina do Terreiro do Paço com a avenida Ribeira das Naus.

Em Campolide (Travessa Estevão Pinto), onde hoje funciona a Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa, foi assinalado o local onde então estava instalado o Batalhão de Caçadores n.º 5. Daí saiu, pelas três da manhã, uma força constituída por duas companhias operacionais, uma para ocupar o Quartel-General do Governo Militar de Lisboa, em S. Sebastião da Pedreira, e outra para garantir a segurança do Rádio Clube Português, na Rua Sampaio e Pina.





No Largo da Penha França ficou registada a pedra que assinala a ocupação do Comando da Legião Portuguesa por uma força do Movimento das Forças Armadas. O último local assinalado foi aquele de onde durante o dia 25 foram emitidos vários comunicados do MFA – a Emissora Nacional na Rua do Quelhas –, após ter sido ocupada por uma força do Campo de Tiro da Serra da Carregueira.

EGEAC a comemorar deste 2 de abril

Entretanto, desde o dia 2 de abril, que o projeto “48” da EGEAC – Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural, E.M., está a pintar o chão de Lisboa com pensamentos, poemas ou aforismos da autoria de 48 mulheres, escritoras, poetas e canta-autoras.

Maria Teresa Horta, Lídia Jorge, Luísa Sobral, Djaimilia Pereira de Almeida, Aldina Duarte, Isabela Figueiredo, Regina Guimarães e Luísa Costa Gomes são algumas das autoras que aceitaram o convite da EGEAC para escrever na rua novas palavras de ordem.

Palavras de homenagem aos 48 anos de democracia e de renovação dos valores de Abril para serem descobertas e lidas nos passeios de ruas, avenidas e praças da cidade, como a Avenida da Liberdade ou a Rua do Carmo, entre 2 e 25 de abril.

Neste projeto da EGEAC participam ainda Adília Lopes, Aldina Duarte, Alice Neto de Sousa, Aline Frazão, Amélia Muge, Ana Deus, Ana Luísa Amaral, Ana Margarida Carvalho, Ana Marques Gastão, Ana Paula Inácio, Beatriz Hierro Lopes, Capicua, Cláudia R. Sampaio, Djaimilia Pereira de Almeida, Dulce Maria Cardoso, Filipa Fonseca Silva, Filipa Leal, Filipa Martins, Francisca Camelo, Gisela Casimiro, Golgona Anghel, Inês Fonseca santos, Inês Pedrosa, Isabel Rio Novo, Isabela Figueiredo, Lídia Jorge, Luísa Costa Gomes, Luísa Sobral, Mafalda Veiga, Manuella Bezerra de Melo, Margarida Vale de Gato, Maria do Rosário Pedreira, Maria Teresa Horta, Marta Chaves, Paola D’Agostino, Patrícia Portela, Patrícia Reis, Raquel Gaspar Silva, Raquel Lima, Raquel Nobre Guerra, Regina Guimarães, Rita Capucho, Rita Taborda Duarte, Rosa Alice Branco, Rosa Oliveira, Tatiana Faia, Telma Tvon.

Quer comentar a notícia que leu?