PENHAFORTE É “ALDEIA DE SONHO” DO INATEL

0

A aldeia Penhaforte, no concelho de Pinhel, foi considerada pelo Inatel como uma das «Aldeias de Sonho» de Portugal. A distinção foi entregue no decorrer da Gala Reconhecer.

A par desta homenagem a Penhaforte, a Gala do Inatel «Reconhecer», apresentada por José Carlos Malato e com a participação de Carlos Alberto Moniz, os Gaitas de Foles e os “Roncos do Diabo”, distinguiu ainda o Lisboa Ginásio Clube, a Casa do Povo da Abrunheira e a Associação Coração Amarelo

Carlos Malato foi o apresentador de «serviço» da gala «Reconhecer», que se realizou no Teatro da Trindade Inatel, em Lisboa, tem como principal objectivo «homenagear homens e mulheres anónimos que fizeram e fazem a diferença na sociedade», destacando importância do trabalho desenvolvido no campo das políticas sociais..

Segundo o presidente do Inatel, Francisco Madelino, «esta iniciativa pretende reconhecer cidadãos que tenham desempenhado um papel relevante no apoio, formal ou informal, dirigido a outros cidadãos; entidades coletivas que, no âmbito do desenvolvimento da sua atividade se destaquem pelas suas maiores contribuições para o bem-estar das populações e para a coesão social; e ainda entidades ou cidadãos que se destaquem pela sua atuação na área do voluntariado».Durante o evento houve, ainda, lugar para momentos musicais, momentos artísticos que reforçam a importância das tradições, da cultura e da música portuguesa. As intervenções artisticas estiveram a cargo de Carlos Alberto Moniz, que interpretou alguns temas que marcaram a sua carreira, e os Roncos do Diabo, conjunto formado por quatro gaitas-de-fole e um bombo.Nesta edição relativa a 2018, ano em que se comemora o 70.º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos e o 40.º aniversário da adesão de Portugal à Convenção  Como fez questão de salientar Francisco Madelino, a «Fundação Inatel tem como missão o bem estar integral e o desenvolvimento pessoal de cada um, abraçando causas sociais que promovam a inclusão de todos os cidadãos».

Nesta Gala, o Inatel «acarinhou e valorizou pessoas e entidades coletivas que se destacaram ao longo de 2018, com projetos que servem o bem-comum (um trabalho tantas vezes invisível) mas que muda a vida de cada um e das comunidades».Desta forma, na categoria Ajudar (intervençaõ social) foram premiadas a Casa do Povo da Abrunheira, em Montemor-O-Velho, e a Associação Coração Amarelo, Oeiras. Com o prémio CCD Centenário, que distingue os Centros de Cultura e Desporto com 100 anos, foram distinguidas  a Associação Cristã Mocidade Portuguesa, Coimbra, Grupo Dramático e Musical Flor de Infesta, Matosinhos, e Lisboa Ginásio Clube, Lisboa. Com prémio CCD foram agraciadas a Casa do Povo de Vila Franca do Campo, Orfeão de Leiria – Conservatório de Artes e Associação de Moradores de Lameiras.





A distinção Aldeias de Sonhos, um programa direccionado para os habitantes de aldeias portuguesas isoladas geográfica e socialmente, foi conquistado pela aldeia de Penhaforte, no concelho de Pinhel.

Escreva aqui o seu comentário...