O Centro Social e Paroquial da Póvoa de Santo Adrião já se afirmou como parceiro natural das pessoas e das famílias, nas diversas valências que oferece, porque sentem que a instituição cuida de todos, principalmente dos mais carenciados e dos idosos.O aperfeiçoamento, nas diversas dimensões, bem como, a promoção integral das pessoas, num espírito de solidariedade humana, cristã e social são pontos fundamentais da «forma de estar» do Centro Social e Paroquial da Póvoa de Santo Adrião, que tem por objetivo a promoção de um espírito de integração comunitária, tendo em vista a sua própria valorização.

O Centro Social e Paroquial da Póvoa de Santo Adrião é, segundo Lúcia Rodrigues, responsável deste centro, dirigido pelo padre Carlos Fernandes, «um oásis de humanismo e de humanização», servindo «para promover a dignidade humana».

O respeito pela dignidade humana é, do ponto de vista de Lúcia Rodrigues, a base desta instituição, criada em 2003 e que, atualmente, é uma referência na comunidade, «respondendo às necessidades das famílias e das pessoas e melhorando continuamente a sua intervenção na sociedade».

Esta instituição de solidariedade social começou «a sua atividade no terreno» em 2005 com um projeto de apoio domiciliário a idosos com 35 utentes e, meses passados, inaugurou uma creche (berçário e de crianças com 1/2 anos). Áreas que a freguesia não tinha e a comunidade necessitava.

Em 2006, foi assinado um acordo de cooperação com o Instituto da Segurança Social que permitiu começar a acolher com carácter solidário todos os que recorrem aos serviços, respondendo às suas necessidades e especificidades.

No fundo, como salienta Lúcia Rodrigues, a instituição é já um marco de responsabilidade social na comunidade, promovendo a comunhão de bens e de oportunidades e, ao mesmo tempo, é um «símbolo de ajuda e apoio aos mais necessitados e de desprendimento inerente a este projeto».

As pessoas primeiro…

Citando o padre Rui Valério, um dos grandes impulsionadores desta obra, Lúcia Rodrigues, considera «o ser humano é a nossa razão de ser, como o é por consequência, a sua promoção e formação como pessoa, fundamento profundo e mola impulsionadora do nosso trabalho».

Por isso, a missão principal deste centro é promover «o crescimento e o desenvolvimento das potencialidades da pessoa», em todas as suas dimensões social, profissional e cultural.

Para Lúcia Rodrigues, o centro social e paroquial é uma organização cuja ação considera a «pessoa» na sua dignidade, como sujeito de direitos e como sujeito central do seu desenvolvimento.

Por este motivo, a «nossa intervenção não pode reduzir-se ao mero “assistencialismo” que se limita a ver a pessoa como alguém passivo, ou seja, como objeto da ação que termina na necessidade atendida».

«Somos equiparados às IPSS, podemos dizer que somos uma organização com horizonte de intervenção alargado, pois não nos limitamos a dar apenas respostas tipificadas a necessidades diagnosticadas; somos, de certa forma, motores de toda uma comunidade, no sentido de a movimentar e comprometer para o desenvolvimento da solidariedade de âmbito local», defende. No entanto, esta responsável considera «importante abrir as portas ao exterior e ter capacidade de comunicar», lembrando que, apesar de tudo, «ainda existe um grande espírito de entreajuda na sociedade portuguesa».

Combater carências

E, é com base na solidariedade, espírito de entreajuda e inserção na comunidade, que o Centro Social Paroquial da Póvoa «criou» várias valências para responder a uma população com especificidades próprias.

Neste momento, esta instituição dispõe de: Creche com berçário (dos 4 aos 36 meses, apoiado pela Segurança Social); Jardim de Infância (dos 3 aos 5/6 anos); Centro de Atividades de Tempos Livres – CATL (dos 6 aos 15 anos); Centro de Apoio ao Estudo – CAE (do 5º ao 9º ano); Serviço de Apoio Domiciliário (em cooperação com a Segurança Social); Programa de Emergência Alimentar; Banco de Ajudas Técnicas – apoio a população, nomeadamente pessoas idosas ou com deficiência, na aquisição de produtos de incontinência (fraldas, cuecas, resguardos), produtos farmacêuticos, ajudas técnicas, mobiliário geriátrico, entre outros; Gabinete de Encaminhamento e Apoio Social; Gabinete de Inserção Profissional em cooperação com o Instituto de Emprego e Formação Profissional; projeto Arco Iris, um programa de convívio direcionado a pessoas idosas com uma pequena demência; Centro de Apoio Familiar e Aconselhamento Parental, em cooperação com a segurança social; Serviço de Atendimento e Acompanhamento Social Integrado, em parceria com a União de Freguesias da Póvoa de Santo Adrião e Olival e Câmara Municipal de Odivelas; Contrato Local de Desenvolvimento Social, em parceria dom o Centro Comunitário de Famões, Cruz Vermelha Portuguesa e Segurança Social; por ultimo, e não mais importante, Programa Operacional de Apoio a Pessoas Mais Carenciadas, em parceria com a União de Freguesias da Póvoa de Santo Adrião e Olival.

Futuramente, com a ampliação do Centro Paroquial, cujas obras devem terminar no próximo ano, esta instituição pretende arrancar com novas valências. Assim, no ano letivo 2020/21 deverão entrar em funcionamento o Centro de Atividades Ocupacionais na área da deficiência; alargamento da creche; cozinha equipada, lavandaria e refeitório.

Quer comentar?

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.