TÍTULO DE TRANSPORTES CONTINUA OBRIGATÓRIO

0

Todos os passageiros que viagem nos transportes públicos da Área Metropolitana de Lisboa têm de ter o título de transporte, apesar de não existir fiscalização.É obrigatório para todos os passageiros que «andem» nos transportes públicos viajarem com títulos de transporte válidos. Esta, segundo um comunicado emitido pela Área Metropolitana de Lisboa (AML), é a «condição indispensável à boa continuidade do serviço de transporte público de passageiros».

«Para quem viaja na região metropolitana de Lisboa, o serviço de transporte público de passageiros é fundamental para todos os que precisam de fazer deslocações indispensáveis as possam fazer, seja para trabalhar ou ir às compras» refere a AML, lembrando que «todos os operadores de transporte estão «comprometidos em garantir que a oferta de transportes responde às necessidades fundamentais da população, e que a sua utilização é feita em condições de segurança para passageiros e para os trabalhadores».

Por causa disso, foram adoptadas «um importante conjunto de medidas de segurança», que passaram pelo «reforço da limpeza e higienização de veículos e estações; e a limitação do número máximo de passageiros transportados a 1/3 da lotação dos veículos, de forma a garantir que os passageiros viajam com uma distância de segurança entre si»

No transporte rodoviário, foi ainda alterada a entrada de passageiros, que passou a fazer-se pela porta traseira, a não venda de títulos de transporte a bordo e a não obrigação de validação, para reduzir o risco decorrente do contacto entre passageiros, motoristas e outros trabalhadores, tendo ainda sido abertos os canais de acesso ao Metro, Transtejo e Soflusa, para minimizar a necessidade de contacto frequente de passageiros e trabalhadores com os validadores.

Contudo, como faz questão de salientar o comunicado da AML, «mantêm-se, no entanto, a obrigatoriedade de todos os passageiros viajarem com títulos de transporte, condição indispensável à boa continuidade do serviço de transporte público de passageiros».

Para mais informações consultar: www.aml.pt