TODOS JUNTOS NO COMBATE AO COVID-19

0

De norte a sul do país, em todos os hospitais nacionais, as forças de segurança (PSP, GNR e SEF) e os corpos dos bombeiros saudaram os profissionais de saúde pelo «seu esforçado trabalho no combate à pandemia do Covid-19».

O tributo prestado hoje por quem também está na linha da frente (as forças de segurança) aos que ainda estão mais à frente, os profissionais de saúde no combate ao Covid-19, marcou, pela positiva, o dia de hoje. Palavras de agradecimento, palmas e o hino nacional, foi a forma «encontrada» para realizar a homenagem das forças de segurança aos profissionais de saúde em vários hospitais nacionais.  O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, fez questão de marcar presença na cerimónia de homenagem, tendo acompanhado a iniciativa no Hospital Dr. Fernando da Fonseca (Amadora/Sintra).

À semelhança do que aconteceu um pouco por todo o país, os pirilampos e as sirenes dos veículos das forças de segurança soaram, esta sexta-feira, em Lisboa, para prestar homenagem aos profissionais de saúde, que «lutam contra um inimigo invisível, mas que queremos exortar para que continuem o vosso imprescindível trabalho», afirmou Magina da Silva, diretor nacional da PSP.

Os profissionais de saúde assistiram ao momento no recinto das diferentes unidades hospitalares de Lisboa e receberam um quadro com todas as forças policiais e de socorro, «em sinal de reconhecimento pela coragem e profissionalismo». As diferentes cerimónias terminaram com o hino nacional, cantado por todos os presentes.

À iniciativa partiu da PSP, que lançou o desafio a todas as forças de segurança e organizou uma homenagem aos profissionais de saúde, tendo aderido a esta ação a Guarda Nacional Republicana (GNR), o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), a Polícia Marítima (PM), as polícias municipais e os corpos de bombeiros.

Esta homenagem decorreu em simultâneo nos distritos de Lisboa, Porto, Braga, Coimbra, Guarda e Faro e nas regiões autónomas dos Açores e da Madeira e teve como grande objetivo destacar «o trabalho e o profissionalismo» dos homens e mulheres que estão na «primeira linha do combate à pandemia» e lembrar que «desde a eclosão da crise pandémica que os profissionais de saúde têm desempenhado uma missão fundamental na primeira linha do combate ao inimigo invisível e insidioso que ataca a população portuguesa e mundial».





Em Lisboa, junto ao Hospital de Dona Estefânia, Magina da Silva, diretor nacional da Polícia de Segurança Pública, não esqueceu os profissionais de saúde afastados temporariamente dos serviços por estarem infetados com o novo coronavírus: «Este é um gesto muito sentido a todos os profissionais de saúde que estão na linha da frente. É verdade que estamos vários na linha da frente, mas uns estão mais à frente, e sem dúvida que são os profissionais de saúde. Infelizmente, são mais de 2100 profissionais infetados, o que demonstra bem o trabalho que têm feito. E nós, enquanto forças de segurança, não nos sentiríamos bem se não prestássemos esta homenagem sentida».

Além do Hospital de Dona Estefânia, foram também homenageados o Hospital de Santa Maria, Hospital da Cruz Vermelha e José de Almeida (Cascais). Foi ainda visitada a sede do INEM, o Hospital Curry Cabral e Hospital Dr. Fernando da Fonseca (Amadora/Sintra). No Porto, o “ato simbólico” teve lugar nos hospitais de São João, de Santo António, Pedro Hispano e de campanha do Porto

Crédito de Fotos: Centro Hospitalar Lisboa Norte, EPE

Escreva aqui o seu comentário...