A partir da amanhã, dia 10 de abril, todos os caminhos dos surfistas vão dar à Costa de Caparica. Uns para participarem e outros para assistir à 5ª edição do Caparica Surf Fest, organizado pela World Surf League e Câmara Municipal de Almada.

Naquela que será a sua quinta edição, a grande novidade do Caparica Surf Fest está no aumento de estatuto da prova masculina do circuito de qualificação (QS), que este ano atribuirá 3000 pontos ao vencedor.Apresentado hoje, na Aldeia dos Capuchos, pela presidente da Câmara Municipal de Almada, Inês de Medeiros, e pelo vice-presidente e vereador com o pelouro do Desporto, João Couvaneiro, este evento inicia-se amanhã, por volta das 08 horas, com o campeonato Pesca Power, que permitira aos pescadores da Costa mostrarem o «quão belo» é «cortarem» as ondas com os seus barcos de arte xavega, e contará com a presença de alguns surfistas que já estiveram no circuito mundial, nomeadamente o português Frederico Morais, o brasileiro Alex Ribeiro, o norte-americano Nat Young, o havaiano Keanu Asing e o espanhol Aritz Aranburu e o australiano Ethan Ewing.

Também no QS feminino se faz sentir a presença da elite europeia, encabeçada pela portuguesa Teresa Bonvalot, vencedora da categoria júnior já por três vezes.

Assim, de 11 a 20 de abril, centenas de atletas nacionais e internacionais vão disputar o Mens’s Qualifying Series/3,000, o Women’s Qualifying Series /1,000 e o Junior Qualifying Series/1,000.

Conforme realçou a presidente da Câmara Municipal de Almada, Inês Medeiros, no decorrer da apresentação desta competição, o Caparica Surf Fest vai permitir à Costa da Caparica «tirar partido da projeção internacional deste evento para se promover junto de alguns dos mais importantes mercados turísticos mundiais».

A Costa da Caparica e as suas ondas podem, como refere a autarca, transformar-se numa zona de surf para todos (praticantes, escolas e clubes), com benefícios económicos reais «para o comércio local» e criação de emprego.

Inês Medeiros recorda que «os turistas dos eventos de surf em Portugal vêm completamente fora de época balnear. O surf é um desporto que quebra completamente a sazonalidade da oferta turística». E, por isso, poderá ser «uma alavanca para o desenvolvimento da economia local»«A altura boa do surf é a altura baixa do turismo. O surfista vem atrás das ondas e as ondas portuguesas são de excelência, designadamente as da Costa da Caparica que permitem a prática da modalidade durante todo o ano, não tendo concorrência a nível europeu. E é isso que o surf dá a Portugal e ao nosso turismo, uma vantagem competitiva não copiável. Temos boas ondas em todo o lado e estamos cada vez mais no radar dos amantes de surf de todo o mundo», defende a autarca.

Sempre há surf na Costa

Em resposta a afirmações de que o Caparica Surf Fest não se iria realizar este ano, Inês Medeiros foi clara: «amanhã, iniciamos mais uma edição deste campeonato, a quinta, com o circuito europeu de Bodyboard, continuamos com o Campeonato Universitário de Surf e terminamos com o Circuito Nacional de Longboard, 1ª etapa Costa da Caparica».

Inês de Medeiros fez, também, questão de desmentir o «boato posto a correr por alguns» que este evento também iria acabar com os concertos. Segundo a presidente da Câmara de Almada, este ano inaugura-se um novo modelo deste evento e, paralelamente às provas, vão realizar-se, durante quatro dias, vários concertos, com entradas livres, em vários espaços públicos da Costa. «Esta nova animação cultural pretende envolver todos: moradores, surfistas, adeptos do surf e os frequentadores da Costa», salienta.

Desta forma, o Caparica Surf Fest vai continuar a ser também um festival de música dedicado a um público jovem e associado a modalidades de desporto – do surf ao windsurf, passando pelo bodyboard, skim, pedal, kitesurf, skate e bodysurf.

Eventos WSL em Portugal

Os vários eventos da WSL que se vão disputar este ano em Portugal já arrancaram na segunda-feira, com o início do período de espera do Pro Santa Cruz, prova de 3.000 pontos do circuito de qualificação (QS), que se estende até 13 de abril. Já o Junior Pro Espinho vai decorrer entre 10 e 14 de abril e, logo no dia seguinte, avança o Caparica Pro (3.000 pontos, QS), que conta com as provas masculina, feminina e júnior (15 a 20 de abril).

«Fizemos a mesma coisa para os juniores que fizemos para os seniores. Os miúdos vão a Espinho enquanto está a decorrer Santa Cruz e, depois, juntamos tudo na Caparica. Assim, conseguimos trazer o surf júnior e os QS durante um mês para Portugal», sublinhou Francisco Spínola, diretor geral da WSL.

Esta primeira fase dos eventos da WSL em Portugal coincide com um período que habitualmente é marcado por boas condições para a prática da modalidade, tal como a segunda época de competições internacionais em solo português, que se inicia nos Açores com uma prova de 6.000 pontos (17 a 22 de setembro) e se estende para a Ericeira, que vai receber uma prova da categoria máxima (10.000 pontos) do QS.

Estes dois eventos QS, dada a sua elevada pontuação e proximidade em termos de calendário, prometem atrair a elite mundial para Portugal. Cerca de um mês depois, realiza-se a prova rainha em Portugal, em Peniche, uma das 11 paragens do circuito mundial (CT), que vai decorrer entre 16 e 28 de outubro, e que este ano, além dos homens, também vai contar com a prova das melhores surfistas do mundo.

Isto sem esquecer a competição de ondas gigantes na Nazaré, que tem um período de espera muito mais alargado devido à imprevisibilidade das condições do mar (01 de outubro de 2019 a 31 de março de 2020), mas cujo espetáculo oferecido na Praia do Norte tem motivado nos últimos anos uma forte dinamização da economia local, com turistas de todo o mundo à procura das ‘montanhas de água’ que têm proporcionado aos mais corajosos conquistar recordes do mundo no masculino e no feminino.

PROGRAMA

Para além das competições com o selo WSL, as ondas da Praia do Paraíso vão ainda ser palco das seguintes provas: Nacional de Desporto Escolar (surf, bodyboard, skimming); Ahua – Bodysurf Desporto Escolar; 1.ª etapa do Campeonato Nacional de Bodyboard; Caparica Bodyboard Pro – Campeonato Europeu; Caparica Longboard – 1.ª etapa do Campeonato Nacional; Lufi Expression Session; Caparica SUP Wave – 1.ª etapa do Campeonato Nacional; Game ON – Matta (surf); KiteSurf – Best Trick Award; Windsurf – Best Trick Award; e Bodysurf – Ahua Expression Session

De referir que para 12, 13, 19 e 20 de abril, na Praça da Liberdade, na Costa da Caparica, estão agendados quatros dias de concertos ao ar livre, sempre ao final da tarde e pela noite dentro.

PROGRAMA COMPLETO

Além das competições com o selo WSL, as ondas da Praia do Paraíso vão receber outras importantes etapas:
11 a 13 de abril | 8h – 17h
Circuito Europeu de Bodyboard (masculino/feminino), 1.ª etapa Costa da Caparica

13 de abril | 8h – 17h
KiteSurf – Best Trick Award
Windsurf – Best Trick Award

13 a 14 de abril | 8h – 17h
Circuito Nacional de Bodyboard (masculino/feminino e Dropknee), 1.ª etapa Costa da Caparica

14 de abril | 8h – 17h
Hugo Pinheiro & friends | Tow Out
Campeonato universitário 2019 FADU

19 de abril | 8h – 17h
Circuito Nacional de Longboard, 1.ª etapa Costa da Caparica
Lufi Expression Session
Bodysurf – Ahua Expression Session

Quatro noites de concertos
Paralelamente às competições, há quatros dias de concertos, todos de entrada livre, dias 12, 13, 19 e 20 de abril.

Nos três primeiros dias, a animação começa às 18h, com as arruadas dos Porbatuka. No último, às 19h, com o Projecto Bug.

As noites continuam com os concertos d’ Os Tontos e Orlando Santos (12 abril), Funkology e Melech Mechaya (13 de abril), The Peakles e Terra Livre (dia 19 de abril) e O’queStrada (dia 20 de abril).

Quer comentar?

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.