BERNARDINO SOARES RECANDIDATA-SE A LOURES A PENSAR NO FUTURO

0

O presidente e recandidato da CDU à Câmara de Loures, Bernardino Soares, alertou hoje contra “campanhas de calúnia, de bota-abaixo, de promessas ilusórias e mentirosas” até às eleições autárquicas, no outono, sublinhando que a motivação de recandidatura se prende com a “vontade de dar continuidade aos projetos que já estão em curso”.

O comunista Bernardino Soares vai recandidatar-se à presidência da Câmara de Loures, no distrito de Lisboa, nas eleições autárquicas deste ano, para “dar continuidade aos projectos de desenvolvimento do concelho”, anunciou o autarca, de 49 anos, que chegou à presidência da Câmara Municipal de Loures em 2013, depois de ter ocupado durante 18 anos o cargo de deputado na Assembleia da República pelo PCP.

Bernardino Soares, que tinha a seu lado o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, pediu aos apoiantes para não abrandarem o trabalho, porque «vamos enfrentar uma batalha muito dura. Vamos enfrentar campanhas de calúnia, de bota-abaixo, de promessas ilusórias e mentirosas, de colagem a conquistas deste executivo e do município em geral», afirmou, apelando ainda ao voto, «seja qual for a sua convicção ideológica, quaisquer que tenham sido as suas opções de voto em eleições anteriores», se quiserem «uma gestão de progresso, participação e gestão democrática».

No decorrer da apresentação pública da recandidatura à Câmara Municipal de Loures pela CDU, coligação que junta PCP e Os Verdes, o autarca comunista afirmou que a motivação de recandidatura se prende com a «vontade de dar continuidade aos projetos que já estão em curso».

«A motivação é continuar a fazer um trabalho muito intenso, exigente, mas muito gratificante para o desenvolvimento deste concelho. Um concelho que passou de ser um concelho endividado, sem projetos, sem credibilidade, para passar a ser em muitas áreas políticas municipais referência a nível nacional», sublinhou, apontando para o próximo mandato, caso vença as eleições, a concretização de projectos na área dos transportes, habitação, ambiente e economia.

Em causa estão, referiu o autarca, projectos como a reabilitação urbanística da zona oriental, investimento na habitação e as construções de um passeio ribeirinho, de um centro cultural, de um estádio municipal e de um “interface” de transportes.




Segundo afiançou, no primeiro mandato, bem antes de se perspetivar a Jornada Mundial da Juventude da Igreja Católica, Loures começou «a colocar a questão, perante a evidência de que não poderia ser o único concelho da Área Metropolitana sem acesso à zona ribeirinha, com toda a sua riqueza ambiental e paisagística», adiantando que se encontra «em fase avançada o projeto do parque Tejo Trancão, elaborado em conjunto com a Câmara de Lisboa, concretizando finalmente um compromisso do tempo da Expo 98, para benefício de toda a zona oriental».

Em paralelo, revelou Bernardino Soares, foi desenvolvido o «projeto do passeio pedonal e ciclável junto ao rio, ambientalmente sustentável, com financiamento finalmente aprovado já em 2021 nos órgãos municipais, apenas com o voto contra do PS na Câmara e na Assembleia Municipal. A empreitada está já em concurso, queremos adjudicar ainda este ano, para que a obra decorra no próximo, bem a tempo da Jornada Mundial da Juventude de 2023».

Outra situação alvo de criticas de Bernardino Soares ao anterior executivo socialista de Loures prende-se com «as recorrentes cheias na zona baixa de Sacavém»: «Era a “natureza a funcionar, não havia nada a fazer”, dizia alguém desse tempo. Nunca quiseram fazer uma intervenção indispensável, mas que obviamente causaria enormes impactos junto dos moradores e dos comerciantes», sublinhou o edil, revelando que o actual executivo da CDU teve «a coragem de avançar e a competência de obter financiamento para uma obra que está igualmente a ligar esgotos que continuavam a correr para o rio».

Do ponto de vista do candidato, o concelho mudou radicalmente com a gestão da CDU, lembrando que, neste mandato, a autarquia realizou «beneficiações em 64 escolas, incluindo a reconstrução completa de várias delas», foram reforçadas as refeições escolares em qualidade e quantidade e mais de 14 mil crianças frequentam projetos escolares municipais».

«Na saúde, com o edifício adquirido para Lousa, a construção em curso em Santa Iria, o concurso de empreitada a decorrer para o Catujal e o lançamento em breve do concurso para Santo Antão, fica apenas a faltar solução para Camarate e para a Bobadela», lembrou Bernardino Soares, recordando que, no ambiente, a autarquia «avançou a limpeza das linhas de água, mais de um milhão de m2 intervencionados, assente num plano estratégico de carácter pioneiro no país, multiplicaram-se os parques urbanos – mais 50 mil m2 neste mandato -, investiu-se na eficiência energética, na floresta e na poupança de água».

Na área social, Bernardino Soares afiançou que «o apoio às instituições em 2021 é dez vezes superior ao atribuído no final do mandato anterior. Neste momento há de facto uma rede social no terreno, e não apenas no papel, preciosa na resposta à pandemia e a um conjunto de outras necessidades. Com o apoio e incentivo do município, o concelho de Loures é o que tem maior número de candidaturas ao programa PARES – 22 na área da deficiência e idosos e 6 na área da infância».

Já na habitação, a ausência de intervenção do Estado para travar a especulação e a manutenção da lei dos despejos, a Câmara aprovou já um dos pilares da estratégia local e tem em vigor medidas de apoio à habitação jovem e ao arrendamento, tendo reforçado «a gestão das habitações públicas municipais, com o controlo do aumento da dívida, o aumento da taxa de cobrança e também com correção dos abusos, libertando os fogos para quem mais precisa. Foram 160 neste mandato».

Na Cultura, o autarca defendeu que «acabou o tempo em que não havia Festas do Concelho, nem comemorações do 25 de Abril, nem Festival de Bandas», existindo a necessidade «de um equipamento de raiz, um centro cultural, cujo projeto tem mais de 50 propostas a concurso».

Por outro lado, como recordou, o município disponibilizou mais de dois milhões de euros disponibilizados este ano para o apoio às micro e pequenas empresas, e mais investimentos, de empresas que aumentaram a sua capacidade e de novas empresas que aqui se fixaram, tendo reforçado as transferências para as freguesias, «próximas já dos 15 milhões de euros, no que é o maior acordo de delegação de competências, uma referência em todo o país».

Na renovação da rede de águas, já se executaram ou estão em execução grandes intervenções, como na cidade de Sacavém, em Bucelas, em Santo António dos Cavaleiros e Loures, referiu o edil, salientando que a edilidade apostou «na melhoria das condições de trabalho e até das remunerações dos trabalhadores, usando para isso todos os instrumentos disponíveis, desde a mobilidade intercarreiras, ao suplemento de insalubridade e risco e à opção gestionária, aumentando a formação, a segurança e outros apoios fundamentais».

«Nos transportes públicos, Loures impulsionou o trabalho feito na Área Metropolitana para que o passe único fosse criado, com o contributo financeiro do município. A rede de transportes rodoviários entrará em funcionamento no final do ano, igualmente com financiamento municipal. Serão mais carreiras, melhores ligações, aumento das frequências, tudo isto com autocarros mais novos, mais amigos do ambiente e com garantia de acessibilidade», enumerou Bernardino Soares, sublinhando que, finalmente, «as ligações de metro quer a Loures, quer a Sacavém» vão avançar, porque «pressionámos uma decisão, que veio a acontecer já para Loures, integrada no PRR e que se espera ser concretizada igualmente para Sacavém por essa ou outra via. Os projetos estão já a ser desenvolvidos pelo Metro, com forte participação técnica e financeira do município (cerca de um milhão de euros)».

Passo de confiança

Já para o Secretário-Geral do PCP, Jerónimo de Sousa, a candidatura da CDU a todos os órgãos autárquicos do concelho de Loures é um passo dado com a confiança de «quem pode mostrar um percurso de trabalho, realizações e obra que orgulha este concelho e quem nele vive e trabalha»

Após ter saudado o mandatário da Coligação, maestro António Saiote, e Maria Eugénia Coelho, cabeça de lista à Assembleia Municipal, o Secretário Geral do PCP salientou que «a CDU tem dado resposta aos problemas das populações e do concelho em obras fundamentais, como a do caneiro de Sacavém», realçando a «importante intervenção na área do Ambiente, onde se destacam milhares de metros quadrados em novos parques verdes».

Também na área da saúde, por via da intervenção da Câmara Municipal e da luta das populações, Jerónimo de Sousa afirmou: «é possível hoje ver construir, por exemplo, o Centro de Saúde de Sta. Iria da Azóia e estão já em fase de lançamento as obras do Centro de Saúde da Apelação e de Santo Antão do Tojal. Esperemos, entretanto, que o Governo não falte às suas responsabilidades de garantir os meios humanos – médicos, enfermeiros e pessoal auxiliar – e os meios técnicos ao pleno funcionamento destes importantes equipamentos de saúde. Temos ainda o exemplo reconhecido do papel do município na prevenção e controlo da epidemia».

Na perspetiva de Jerónimo de Sousa, a gestão da CDU em Loures tem sido «uma gestão que valoriza os trabalhadores do município com a aplicação do suplemento de penosidade e insalubridade logo em Fevereiro». referindo que «a obra que ao longo destes últimos anos está à vista é tão mais valorizável quanto as energias que foi preciso concentrar para recuperar uma autarquia deixada pelo PS numa situação financeira desastrosa e um lastro de problemas acumulados e por resolver».

Além de Bernardino Soares, já anunciaram a candidatura à Câmara Municipal de Loures o socialista Ricardo Leão, atual presidente da Assembleia Municipal, e o social-democrata Nélson Batista, que ocupa o cargo de presidente da Junta de Freguesia de Lousa, na zona norte do concelho.

Quer comentar a notícia que leu?