O ALTO DO PINA QUER GANHAR NOVAMENTE AS MARCHAS POPULARES

O Alto do Pina é das marchas com mais títulos nas Marchas de Lisboa e é atualmente, a campeã do concurso. “É um orgulho enorme sermos da marcha vencedora e agora esperamos conquistar novamente o título”, conta ao Olhares de Lisboa Marco Campos, responsável da marcha.

É esse o espírito com que a Marcha do Alto do Pina se vai apresentar no Altice Arena no dia 3 de junho e no desfile da Avenida da Liberdade de 12 para 13 de junho. “A nossa expectativa é voltar a ganhar e limpar tudo, em 2019 ganhámos tudo menos a cenografia, e agora queremos fazer o pleno”, conta o responsável, que é também marchante no Alto do Pina.

Os marchantes da Marcha do Alto do Pina têm idades entre os 15 aos 49 anos, e todos têm experiência em marchar. O grupo é todo residente na freguesia e “nunca estiveram noutras marchas”, assegura Marco Campos.

Os ensaios começaram em abril e decorrem de segunda a sexta-feira no pavilhão da Escola Secundária Patrício Prazeres. Para já, o grupo ensaia dentro da normalidade, “sem máscaras”, mas o responsável da marcha assegura que todo o grupo “está vacinado contra a Covid-19 e tem o respetivo certificado de vacinação”.

Se alguém testar positivo à Covid-19, essa pessoa será substituída por um suplente. “Nós aqui não temos só o par suplente, temos mais”, conta Marco Campos, uma vez que “a Marcha do Alto do Pina, por ser uma marcha vencedora, é muito concorrida, e por isso recebemos sempre muitas candidaturas, e portanto, contamos com uma base de contactos para usarmos quando for necessário”.

Por isso, a Marcha do Alto do Pina conta com seis homens e seis mulheres suplentes para substituir alguém caso seja necessário. No entanto, o responsável garante que “já era assim antes da Covid, só que antigamente, ficávamos com o contacto dessas pessoas para integrar a marcha no ano a seguir caso alguém saisse”.





Não existem requisitos para entrar na Marcha do Alto do Pina, mas Marco Campos explica que é “fundamental saber marchar e sentir o bairro, não é só vir aqui para aparecer”. Ao mesmo tempo, e como a Marcha do Alto do Pina recebe muitas candidaturas, a organização dá prioridade a “quem seja residente no bairro”.

Em 2022, os padrinhos da Marcha do Alto do Pina serão o ex-jogador de futebol de praia Madjer e a apresentadora Teresa Guilherme. Os ensaiadores são Bruno Vidal e Tiago; e os autores das canções são João Medeiros (letras) e Nuno Feist (músicas). Os figurinos são de Mónica La Fayette e a cenografia de Américo Grova.

Já as mascotes serão o Sérgio e a Íris Campos, filho e sobrinha de Marcos Campos, e que são novamente mascotes da Marcha do Alto do Pina a pedido do ensaiador. “Em 2019, eles dançaram as coreografias do início ao fim, o Sérgio até chegou a dançar com a Teresa Guilherme”, conta o responsável da marcha, que é também o presidente da coletividade organizadora da marcha, o Ginásio do Alto do Pina.

Para este ano, a organização da Marcha do Alto do Pina decidiu não aproveitar o trabalho que já tinha sido começado em 2020. “Nós na altura entregámos o projeto completo, e agora nestes dois anos, decidimos reformular tudo, os figurinos, os cenários, é tudo diferente daquilo que tínhamos idealizado em 2020”, acrescenta Marco Campos.

Visite a loja: https://olharesdelisboa.pt/produto/alto-do-pina/

Quer comentar a notícia que leu?