TRANSPORTE GRATUITO PARA ATLETAS DA EDP MEIA MARATONA

0

Todos os transportes públicos da área Metropolitana de Lisboa são gratuitos para todos os participantes na EDP – Meia Maratona de Lisboa que se realiza nos dias 21 e 22 de março. Várias ações preventivas vão ser tomadas para evitar a propagação do coronavírus. É a  corrida mais relevante que se organiza em Portugal, com atletas de bom nível mundial, mas com milhares e milhares de portugueses que se inscrevem para poderem passar a Ponte 25 de Abril a pé, pelo menos uma vez na vida. Trata-se da EDP Meia Maratona de Lisboa, o maior evento de atletismo de Portugal reunindo mais de 35.000 participantes, incluindo 9 mil atletas estrangeiros e que, hoje, foi apresentado num hotel em Lisboa, tendo sido anunciado que existe um bónus de 100 mil euros para a atleta que «bata o recorde do mundo».

Em 2020 esta emblemática corrida celebra o seu 30ª aniversário e anuncia um bónus de 100 mil euros para a atleta feminina que bata o recorde do mundo. À semelhança do que tem sucedido em anos anteriores, os transportes são gratuitos, na Área Metropolitana de Lisboa (Carris, Metro, CP Lisboa, Fertagus, MTS e TST), com a apresentação do dorsal. O Maratona Clube lembra que o Metro Transportes do Sul e a Fertagus são os únicos meios de transporte para a deslocação dos atletas diretamente para a partido no Pragal, Almada.

No decorrer da apresentação destas provas, o presidente do Maratona Clube, Carlos Móia, explicou que a EDP Meia Maratona de Lisboa faz parte do novo circuito internacional Super Halfs, que une cinco das melhores meias maratonas do mundo, Cardiff, Copenhaga, Lisboa, Praga e Valência com objetivo oferecer a melhor experiência aos seus participantes, combinando: cinco provas de excelência, percursos únicos em cidades históricas e ao mesmo tempo promover a consciencialização ambiental entre todos os participantes e acompanhantes.

Impacto económico

Esta corrida, que, anualmente, conta com a participação de 35 mil atletas, tem início na Ponte 25 de abril, e está marcada para o próximo dia 21 e 22 de março. Desses atletas, 9.000 são estrangeiros e que vêm acompanhados causando um grande impacto económico para a região e para o país. Aliás, Sónia Paixão, do IPDJ, defendeu que «através do desporto movimentamos a economia, nomeadamente por causa do turismo».

Na sua 30ª edição, a EDP Meia Maratona de Lisboa vai juntar os melhores atletas do mundo da distância para recuperar o recorde mundo, estando «preparados para bater o recorde do mundo da meia maratona feminina», salientou Carlos Móia, lembrando que existe um prémio de «100 mil euros destinado ao recorde do mundo feminino».


O presidente do Maratona Clube, referindo-se à hipótese remota da prova não se poder realizar por causa do coronavírus, anunciou que, perante os riscos relacionados com a propagação da doença, vão ser seguidas as medidas preventivas indicadas «pela Federação Internacional de Atletismo, com o objetivo de minimizar os riscos para os participantes nas diferentes provas».

Assim, todos os atletas que entrarem no «Sport Expo (local onde é feito o levantamento dos kits) terão a sua temperatura medida por paramédicos». Nenhum atleta com febre «será autorizado a participar». Carlos Móia anunciou, ainda, que será instalada uma ala de isolamento junto ao Sport Expo, com equipamento epidemiológico e, os casos mais suspeitos «serão encaminhados para o hospital designado pelas autoridades de saúde».

Por outro lado, Carlos Móia lembrou que «não é fácil manter uma maratona com este nível», durante 30 anos. «Isto não se fazia sem os apoios que nos tem sido concedido por diversas instituições públicas e privadas», afirmou

Com um cariz popular e um percurso espetacular à beira rio e que tem início na Ponte 25 de Abril (o único dia do ano em que é possível percorrer esta ponte a pé), a prova reúne atletas e participantes de todas as idades, crenças e estratos sociais, transformando-se num evento verdadeiramente universal.

De facto, durante o fim-de-semana de 21 e 22 de março, os 35 mil atletas vão participar na EDP Meia Maratona de Lisboa, na Vodafone 10 Km, na Luso 7 Km, na Mimosa Passeio da Família e na EDP Mini Campeões (dedicada a crianças dos 6 aos 16 anos).

Meio Ambiente sempre presente

As questões ambientais não estão «afastadas» da EDP Meia Maratona e, por isso, Diana Horta e Costa, da EDP, revelou que, pelo segundo ano consecutivo, «a empresa vai ter sacos amigos do ambiente, a serem entregues aos participantes em conjunto com os dorsais».

Já Ana Rute, das Águas do Luso, anunciou a plantação de 35 mil árvores (número de participantes) na Serra do Buçaco, sublinhando que está a decorrer a campanha «Corre pelo Serra do Bussaco».

Ricardo Neto e Rosa Monforte, da European Recycling Platform, também trouxeram uma mensagem ambientalista, salientando a importância da reciclagem no combate às alterações climáticas, lembrando a necessidade «de reciclar sem parar».

O vereador do Desporto, Higiene Urbana e Proteção Civil da Câmara de Lisboa, Carlos Castro, também «não fugiu» às questões ambientais, reconhecendo que o «fenómeno das alterações climáticas também tem impacto nos atletas que necessitam de beber mais água para evitar a desidratação», usando recipientes de plástico que, posteriormente, tem de ser recolhidos para reciclagem.

Carlos Castro, falando também na condição de vereador da proteção civil, fez questão de realçar que, dado o número de participantes, este evento desportivo está a ser «acompanhado pela Câmara de Lisboa, Maratona Clube, PSP e outras entidades ligadas à segurança, para que tudo corra bem».

Por último Sónia Paixão, vice-presidente do Instituto Português do Desporto e Juventude. lembrou que a «imagem desta prova é a ponte 25 de Abril, permitindo estabelecer “pontes” entre as autarquias da margem sul e norte do Tejo» e, ao mesmo tempo, mostrar a capacidade das empresas em «se associarem em prol dos valores desta maratona»