fbpx
Domingo, Fevereiro 5, 2023
Inicio Freguesias Campolide

Campolide

Campolide tem 2,77 quilómetros quadrados de área e 15 460 habitantes. Foi uma das 12 freguesias criadas pela reforma administrativa da cidade de Lisboa, em 1959, por desanexação da freguesia de São Sebastião da Pedreira (que atualmente faz parte da Junta de Freguesia das Avenidas Novas). Inclui os bairros da Bela Flôr, Liberdade, Alto da Serafina e Calçada dos Mestres. Foi uma freguesia que sofreu inúmeras transformações ao longo dos anos, sendo que, no final do século XX, assistiu-se à demolição das barracas da Quinta do José Pinto.

 Nessa mesma altura, assistiu-se também à construção de um conjunto urbano de luxo, a que se chamou Nova Campolide. Em 1997 entrou em funcionamento o Eixo Norte-Sul e em 2000, foi inaugurada a nova estação ferroviária, duas infraestruturas importantes da freguesia e que a ligam ao resto da cidade.

Alguns dos locais de interesse da freguesia são: o Aqueduto das Águas Livres, que até ao século XX, foi uma peça fundamental de abastecimento de água da cidade; o Teatro Aberto, inaugurado em 1976, na Praça de Espanha; o Parque da Bela Flôr; o Jardim da Amnistia Internacional, ou o Parque da Serafina.

As principais coletividades e associações da freguesia de Campolide são: o Santana Futebol Clube; o Centro de Recreio Popular (CRP) de Campolide; o Liberdade Atlético Clube; o Sport Lisboa e Amoreiras; a Comissão de Moradores do Bairro da Calçada dos Mestres (CMBCM); Associação de Moradores do Alto da Serafina (AMAS); A Associação de Reformados e Pensionistas de Campolide (ARPC); o Campolide Atlético Clube; e o Judo Clube de Portugal.

A freguesia conta ainda com uma Universidade Sénior, destinada a pessoas com mais de 50 anos. Os valores de inscrição são de dois euros para residentes em Campolide; e de seis, para não residentes. Em 2021, Campolide foi distinguida com o troféu de Ouro, o prémio máximo, na terceira edição do Eco-Freguesias XXI, uma iniciativa que visa reconhecer e premiar as freguesias mais sustentáveis do país, tendo sido a única freguesia no concelho de Lisboa a alcançar esta distinção.

Anualmente, e a par com as restantes festas populares que se realizam em Lisboa, a Junta de Freguesia de Campolide organiza o evento ‘Santos à Campolide’, com entrada livre e que tem o objetivo de celebrar o mês dos Santos Populares. Ainda neste âmbito, Campolide conta também com uma marcha, à qual se juntou, em 2015, o Bairro da Bela Flôr. Desde então, e em conjunto, os dois bairros participam no concurso das Marchas Populares de Lisboa.

No mandato 2021-2025, a Junta de Freguesia de Campolide é liderada por Miguel Belo Marques (presidente); Maria Cândida Madeira (secretária); Bruno Louro (tesoureiro); Bruno Gonzalez (vogal); e Cátia Costa (vogal). A Assembleia de Freguesia é liderada por André Couto (PS).

A MARCHA DA BELA FLÔR/CAMPOLIDE QUER UNIR OS DOIS BAIRROS

Em 2022, a Marcha da Bela Flôr/Campolide vai contar com muitos marchantes estreantes, “muitos deles entraram por influência de amigos, ou porque sempre quiseram entrar na marcha e agora já têm idade para o fazer”, conta ao Olhares de Lisboa Catarina Esteves, responsável da marcha.

EM CAMPOLIDE NINGUÉM FICA PARA TRÁS

Criar uma academia de desportos de combate e promover a construção da habitação cooperativa, são dois dos muitos objetivos do novo presidente da Junta de Freguesia de Campolide, Miguel Belo Marques, que, durante os próximos quatro anos de mandato, quer «aprofundar», ainda mais, a política de proximidade, em diálogo permanente com a população.

MAIS UMA CARREIRA DE BAIRRO EM CAMPOLIDE

Adequar a oferta de transporte público às zonas habitacionais, criando complementaridade à rede já operada pela Carris, é o principal objetivo da transportadora rodoviária que iniciou, em 2017, o projeto das Carreiras de Bairro. Esta semana foi inaugurada mais uma: a 18º que liga a Bela Flor à Serafina, passando por Sete Rios.

FREGUESIAS UMA A UMA

Olhares de Lisboa fez uma «ronda» pelas 24 freguesias de Lisboa para se inteirar das diferentes atividades e iniciativas que estão a ser desenvolvidas na capital

CAMPOLIDE É COMO VIVER NUMA ZONA ANTIGA NO CENTRO DA CIDADE

As opiniões dividem-se entre os que acham que Campolide está a envelhecer e quem considera que está a rejuvenescer. Na Rua de Campolide, uma das principais vias da freguesia, assiste-se a um movimento intenso à hora de almoço.

CAMPOLIDE – UMA FREGUESIA QUE ESTÁ A RENASCER

“Para Campolide a reforma administrativa foi fantástica. Éramos e passámos a ser cada vez mais uma freguesia com muita capacidade de intervenção no terreno”.

Edições impressas

OUTRAS NOTÍCIAS